Acessar o conteúdo principal
Aviação/Acidente

Incidente com Airbus da Qantas poderia ter sido catastrófico

Alan Joyce, diretor da companhia Qantas durante coletiva em Sydney, na Austrália, 8 de novembro de 2010.
Alan Joyce, diretor da companhia Qantas durante coletiva em Sydney, na Austrália, 8 de novembro de 2010. REUTERS/Daniel Munoz
Texto por: RFI
2 min

O alerta foi dado pelos investigadores australianos ao classificarem o incidente em pleno voo com o motor Rolls Royce de um Airbus A380 da companhia aérea australiana Qantas, no início de novembro. O piloto fez um pouso de emergência em Cingapura depois que um do motores pegou fogo e, por sorte, desta vez ninguém ficou ferido.

Publicidade

Os peritos australianos que investigaram as causas do incidente com o A380 concluíram que o problema foi causado pela fricção de um componente mal localizado que, em contato com a parede de uma tubulação com combustível, provocou fissuras e o consequente vazamento que fez o motor pegar fogo.
Esse problema poderia ter levado o motor a uma pane catastrófica, disseram os responsáveis pela investigação do escritório australiano para a segurança do transporte aéreo.

Depois da conclusão, uma diretiva foi encaminhada à Rolls Royce para que a empresa trate este problema de segurança de maneira urgente e tome as medidas necessárias para garantir a segurança de todos os voos com aviões equipados com o motor de sua fabricação, o Trent 900.

A companhia Qantas afirmou que seus dois aviões A380 em operação serão novamente examinados nesta quinta-feira, apenas por medida de precaução. A companhia Cingapura Airlines, que já trocou alguns motores de seus aparelhos, também por precaução, disse hoje que as informações dos investigadores australianos não trazem novidade alguma e os voos da empresa não serão afetados.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.