Irã/ nuclear

Nada fará Irã desistir de programa nuclear, diz presidente

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, durante coletiva em Teerã
O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, durante coletiva em Teerã Reuters

Nenhuma proposta da comunidade internacional vai convencer o Irã a renunciar ao seu programa de enriquecimento de urânio, declarou hoje o presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad. “Nós continuaremos no nosso caminho”, disse o iraniano, durante uma coletiva de imprensa em Teerã.

Publicidade

O presidente acrescentou que o Irã cooperaria com a Agência Internacional de Energia Atômica “enquanto ela agir conforme a Justiça”. No ano passado, o programa de enriquecimento de urânio iraniano provocou uma crise com as cinco potências nucleares (China, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha e Rússia), mais a Alemanha. O chamado grupo dos 5+1 desconfia das intenções civis do programa iraniano, ao contrário do que afirma Ahmadinejad. Ele considera que o enriquecimento de urânio é um direito soberano do seu país e reiterou hoje que têm motivações pacíficas.

“Eles (grupo dos 5+1) querem negociar. Nós sempre estivemos prontos para negociar para a cooperação e o diálogo, mas enquanto eles não mudarem a abordagem, essas disputas através da mídia vão continuar”, observou o presidente. Ahmadinejad informou que a atividade nuclear do seu país “avança rapidamente” e que as centrífugas de enriquecimento de urânio estão produzindo pastilhas enriquecidas em 20%. Esse índice está no limite entre o urânio fracamente e o altamente enriquecido, mas ainda distante do limite a partir do qual é considerado para o uso militar – 80%.

O presidente iraniano aproveitou a coletiva para condenar as “ingerências” dos Estados Unidos e seus aliados na Síria, sua principal parceira na região. “A Síria está na primeira linha de resistência (face a Israel). Estou certo de que o povo e o governo sírios poderão resolver seus problemas”, disse. “Infelizmente, alguns governos da região se ingerem na Síria, seguindo os Estados Unidos. Eu desaconselho isso, porque tão logo os Estados Unidos tenham atingido os seus objetivos, eles se retornarão contra eles.”

Ahmadinejad afirmou, entretanto, que apoia as revoltas no mundo árabe, com exceção da que está sendo promovida na Síria.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.