bin Laden/Busca

Explorador vai procurar corpo de Bin Laden no mar da Arábia

A operação vai custar um milhão de dólares a Bill Warren.
A operação vai custar um milhão de dólares a Bill Warren. Getty Images/Shaul Schwarz

Com um custo estimado em US$ 1 milhão, o norte-americano Bill Warren, caçador de destroços náuticos e tesouros, decidiu se lançar em uma missão praticamente impossível: encontrar o corpo do ex-chefe da rede Al Qaeda, Osama bin Laden, lançado no mar da Arábia pelos norte-americanos no dia 2 de maio.

Publicidade

Decidido a desvendar o mistério, Warren diz que, se encontrar o corpo, fará testes de DNA em seus cabelos e barba para revelar ao mundo se Bin Laden está realmente morto. O problema é que o mar da Arábia ocupa uma área de 3,6 milhões de quilômetros quadrados, indo da costa da Arábia Saudita até a Índia, e sua profundidade chega a 5.800 metros. Para dar uma ideia do desafio, os franceses levaram dois anos para encontrar os destroços do voo Rio-Paris a 3.900 metros de profundidade no oceano Atlântico.

Testes de DNA

A tarefa de Bill Warren, portanto, será muito mais complexa. Ele não terá como pontos de referência destroços equivalentes aos do voo AF 447, espalhados no fundo do oceano ao longo de vários quilômetros quadrados. Encontrar um saco branco do tamanho de um homem, envolvido por pesos para garantir que fique no fundo do oceano, será, talvez, missão impossível.

Analistas estimam que o corpo de Bin Laden pode ainda estar próximo da costa paquistanesa. E para encontrá-lo Bill Warren vai se munir de um sonar e de um aparelho teleguiado que deverão verificar o que foi detectado pela propagação do som na água.

O explorador estima que a operação deverá custar US$ 1 milhão. Se encontrar o saco com o suposto corpo de Bin Laden, ele pretende tirar fotos, gravar vídeos e recolher amostras para fazer testes de DNA em seus cabelos e barba.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.