Síria/Protestos

Militares sírios atiram novamente contra manifestantes

Manifestação na cidade síria de Deir al-Zour reuniu milhares de pessoas.
Manifestação na cidade síria de Deir al-Zour reuniu milhares de pessoas. Reuters

As forças de ordem atiraram nos milhares de manifestantes que protestavam contra o regime em várias cidades da Síria. Segundo os militantes, pelo menos 12 pessoas morreram. Enquanto isso, milhares de sírios continuam fugindo do país pela fronteira com a Turquia. A atriz norte-americana Angelina Jolie visitou os refugiados.

Publicidade

Esta sexta-feira foi marcada novamente por importantes protestos nas ruas de várias cidades da Síria, e mais uma vez as forças de ordem atacaram os manifestantes com tiros, matando pelo menos 12 pessoas. Segundo o presidente do Observatório dos Direitos Humanos do país, Rami Abdel Rahmane, cinco pessoas foram mortas pelos militares na cidade de Homs, no centro, duas em Harasta, na periferia de Damasco, duas em Deir Ezzor, no leste, duas em Dael, na região de Deraa, e uma em Douma, a 15 km da capital. A agência oficial de notícias Sana informou apenas que um membro das forças de segurança foi morto e que cerca de 30 pessoas ficaram feridas em Homs. Na sexta-feira passada pelo menos 25 pessoas foram mortas durante as passeatas. Segundo as últimas informações divulgadas, a repressão imposta pelo regime do presidente Bachar al-Assad já matou 1300 pessoas desde o início do momento de contestação, em 15 de março.

De acordo com as organizações militantes, cerca de 2.500 pessoas desfilaram nas ruas de Tabqa, 5.000 em Homs, 3.000 em Amouda e 4.000 em Qamishli. No entanto, as restrições impostas à imprensa, às organizações humanitárias e às Nações Unidas impedem a verificação desses números.

Além de protestar contra o regime do presidente Bachar al-Assad, as manifestações desta sexta-feira também foram uma homenagem à Saleh al-Ali, um dos heróis da revolta síria contra a dominação francesa, entre 1920 e 1946.

Fuga para a Turquia

Enquanto a repressão ataca os manifestantes, milhares de sírios continuam fugindo do país rumo à vizinha Turquia. Desde o início dos protestos cerca de 10 mil pessoas já atravessaram a fronteira em busca de segurança. Nesta sexta-feira a atriz norte-americana e Embaixadora da boa vontade Angelina Jolie visitou a zona fronteiriça, onde se encontrou com refugiados no campo de Altinözü.

Recebida por uma faixa com os dizeres “Bem-vinda anjo de beleza do mundo”, a atriz, acompanhada de um forte dispositivo de segurança, visitou o acampamento onde cerca de 1.400 sírios se instalaram nos últimos dias.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.