Acidente Nuclear

Filtragem de água radioativa de Fukushima é suspensa

O pesadelo nuclear continua na central de Fukushima, no Japão.
O pesadelo nuclear continua na central de Fukushima, no Japão. REUTERS/Tokyo Electric Power Co

 Apenas cinco horas depois de começar a operação para filtrar o césio 137 das águas contaminadas, o nível de radiação na máquina subiu mais do que o esperado, causando a interrupção do trabalho.  

Publicidade

A decepção foi grande para os responsáveis pela implantação do sistema de filtragem da água contaminada da usina nuclear Fukushima Daiichi, que começou a operar na sexta-feira. Construído com o objetivo de filtrar o césio 137 de milhares de litros de água radioativa da central nuclear, as atividades foram suspensas cinco horas após seu início; as peças da máquina que filtra o césio 137 da água tiveram que ser trocadas diante do índice de radioatividade muito mais alto do que o esperado.

Os engenheiros também não esperavam que restos de lama radioativa depositados na água pudessem penetrar no sistema, bloqueando a funcionalidade da máquina. Além disso, as águas tratadas registram um índice de radioatividade muito maior do que o imaginado.

Um engenheiros da Tokyo Electric Power Company (Tepco)  declarou que a operação só poderá ser retomada quando as causas da alta da radiação forem descobertas. 

A água contaminada inundou a parte inferior dos reatores e pode transbordar para o mar, o que representaria uma nova catástrofe ambiental.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.