Primavera árabe

EUA protestam contra intimidação de embaixador na Síria

Manifestantes protestam contra o presidente Bashar al-Assad em Damasco nesta quinta-feira.
Manifestantes protestam contra o presidente Bashar al-Assad em Damasco nesta quinta-feira. REUTERS
2 min

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, condenou o que chama de campanha de intimidação e exige de Bachar al-Assad medidas de proteção ao corpo diplomático. O regime sírio alega que o governo americano tem encorajado a violência contra as tropas de segurança, visitando áreas afetadas pela repressão e militantes de oposição. 

Publicidade

O embaixador americano Robert Ford e um grupo de assessores foram cercados na manhã desta quinta-feira por uma centena de manifestantes pró-Assad quando chegavam para uma reunião com um opositor, na capital síria. Os manifestantes atiraram pedras e tomates contra a delegação americana e tentaram arrombar a porta da sala onde acontecia a reunião.

Ford ficou bloqueado no local durante duas horas, e só depois conseguiu voltar à embaixada são e salvo. Ninguém ficou ferido.

Protestos

Como toda sexta-feira, a oposição síria convocou hoje a população a sair às ruas para protestar contra o regime. Durante a madrugada, cinco adultos e duas crianças foram mortos em casa por militares na cidade de Homs.

Segundo as Nações Unidas, mais de 2.700 pessoas já morreram desde o início do movimento de contestação contra o presidente Bachar Al-Assad, no dia 15 de março. Cerca de 10 mil pessoas estariam presas ou desaparecidas, de acordo com os militantes. 

A Rússia continua bloqueando uma resolução do Conselho de Segurança da ONU impondo sanções à Síria pelos atos de violência contra a população.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.