Acessar o conteúdo principal
Irã/nuclear

Irã vai enriquecer urânio a 20% na central de Fordo

O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, durante uma visita à central de Natan, em 2008.
O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, durante uma visita à central de Natan, em 2008. Reuters
Texto por: Taíssa Stivanin
3 min

O Irã anunciou nesta segunda-feira ter dado início ao processo de enriquecimento de urânio a 20% na central situada em Fordo, a 150 quilômetros no sudoeste de Teerã. Segundo o governo, as atividades têm a supervisão da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica). A Inglaterra e os Estados Unidos acusam o governo iraniano de provocação.

Publicidade

O anúncio dificulta ainda mais as relações do governo iraniano com as potências ocidentais, que analisam a possibilidade de adotar novas sanções contra o regime de Mahmoud Ahmadinejad. Para a porta-voz do Departamento de Estado americano, Victoria Nuland, "se os iranianos enriquecem urânio a 20%, trata-se  de um novo desrespeito às suas obrigações nucleares." O chanceler inglês, William Hague, acusou o regime iraniano de 'provocação.' O Conselho de Segurança da ONU já votou seis resoluções contra o país. O governo iraniano ameaça fechar o estreito de Ormuz caso as medidas atinjam as exportações de petróleo, o que tem gerado tensão com os Estados Unidos. O governo americano já declarou que não vai tolerar a interrupção do tráfego no canal.

O guia supremo do Irã, Ali Khamenei, disse nesta segunda-feira que o Irã dará continuidade a seu programa nuclear e não vai ceder às pressões externas. A comunidade internacional teme que o programa nuclear iraniano tenha fins militares. Um temor que foi confirmado no último relatório da agência, já que o documento mostra que o governo iraniano é capaz de executar todas as etapas de fabricação de uma bomba.

Em entrevista à rede de TV Al-Alam, o representante iraniano na AIEA, Ali Asghar Soltanieh, afirmou que as atividades nas centrais de Natanz e Fordo têm a supervisão da agência. As duas usinas foram instaladas em uma montanha de difícil acesso, o que dificultaria um ataque.  A inaguração da central em Fordo, que terá 3 mil centrífugas, foi anunciada no sábado, pelo chefe da OIEA (Organização Iraniana da Agência da Energia Atômica). Ela terá capacidade para enriquecer urânio a 20%, 3,5% e a 4%. A arma atômica necessita de material radioativo enriquecido a mais de 90%. O Irã já possui 8 mil centrífugas no site de Natanz.

A tensão entre os Estados Unidos e o país ganhou um novo capítulo nesta segunda-feira, com a condenação à morte de de Amir Mirzaï Hekmati, um ex-marinheiro americano filho de um casal de iranianos. Ele é acusado pelo regime de ser espião infiltrado da CIA, o que as autoridades americanas negam.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.