Acessar o conteúdo principal
EGITO/CRISE POLÍTICA

Cairo vive mais um dia de protestos violentos

A cidade do Cairo é palco de uma nova batalha entre policiais e manifestantes pró-democracia.
A cidade do Cairo é palco de uma nova batalha entre policiais e manifestantes pró-democracia. REUTERS/Asmaa Waguih
Texto por: RFI
1 min

A cidade do Cairo volta a parecer um palco de guerra. Manifestantes revoltados com a morte de 74 torcedores numa partida de futebol, anteontem, protestam nos arredores da praça Tahrir exigindo o fim do poder militar. Duas pessoas morreram nesta sexta-feira durante os protestos na capital. Um oficial das Forças Armadas foi atropelado acidentalmente por um blindado e um manifestante levou um tiro da polícia. 

Publicidade

A crise política está de novo febril no Egito. Na tarde desta sexta-feira, manifestantes pró-democracia e forças da ordem se enfrentam nas ruas do Cairo. Os manifestantes atiram pedras contra as tropas de choque, que revidam com bombas de gás lacrimogêneo e disparos de armas.

Os protestos foram convocados para exigir a saída dos militares do poder. O Conselho Supremo das Forças Armadas, chefiado pelo marechal Mohamed Hussein Tantaoui, ex-ministro da Defesa de Hosni Moubarak, é acusado de conspiração no massacre de torcedores do clube de futebol Al Ahli, e sua ala de ultrarradicais à frente da revolta popular no Egito. 

A nova onda de violência já matou quatro pessoas desde ontem. Duas vítimas foram baleadas pela polícia nessa quinta-feira na cidade de Suez; hoje, duas pessoas morreram no Cairo.

O massacre no estádio de futebol pode precipitar a queda dos militares. Os revolucionários pedem a execução do marechal Tantaoui, homem forte do Egito. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.