Acessar o conteúdo principal
Bangladesh/ islã

Em protesto, muçulmanos queimam templos budistas em Bangladesh

Templos destruídos tinham até 300 anos, conforme
Templos destruídos tinham até 300 anos, conforme REUTERS/Stringer
Texto por: RFI
2 min

Milhares de muçulmanos incendiaram hoje pelo menos cinco templos budistas no sudeste de Bangladesh, em protesto contra a publicação, no site Facebook, de uma foto que consideram ofensiva para o islã. Dezenas de casas da cidade de Ramu e arredores, onde viveria o responsável pela publicação, também foram alvo de vandalismo.

Publicidade

Cerca de 25 mil pessoas participaram das violentas manifestações, afirmando que um homem de confissão budista da região publicou uma foto que insultava o Corão, o livro sagrado dos muçulmanos. Ainda não há informações sobre vítimas.

Aproximadamente 90% dos 153 milhões de habitantes de Bangladesh são muçulmanos. Os budistas representam 1% da população e vivem perto da fronteira com Mianmar. Membros da minoria budista na área de Cox's Bazar, sudeste do país, disseram que os manifestantes não identificados prejudicaram relações pacíficas entre muçulmanos e budistas. Testemunhas afirmam que os tempos tinham até 300 anos, e que estátuas de Buda foram queimadas.

O ministro do Interior, Mohiuddin Khan Alamgir, descreveu os ataques aos templos como uma "tentativa premeditada e deliberada" de interromper a harmonia. Mais de 100 budistas fizeram um protesto silencioso na capital Dhaka na tarde deste domingo contra os ataques aos templos, de acordo com testemunhas.

As violências contra budistas são pouco comuns. Nas últimas semanas, milhares de muçulmanos se manifestaram em Bangladesh contra o filme anti-Islã produzido nos Estados Unidos e as caricaturas do profeta Maomé publicadas em uma revista francesa.

Devido aos atos de violência de hoje, as autoridades proibiram temporariamente qualquer tipo de manifestação pública, para evitar novos incidentes. O homem suspeito de ter publicado a foto no Facebook permanece escondido em um local mantido em segredo, mas negou à imprensa que tenha divulgado a imagem. Ele afirma que a sua conta de usuário foi utilizada por outra pessoa.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.