Síria/Conflito

Novo bombardeio deixa vários mortos no norte da Síria

Combatentes do Exército sírio livre em Aleppo, nesta terça-feira, 27 de novembro de 2012.
Combatentes do Exército sírio livre em Aleppo, nesta terça-feira, 27 de novembro de 2012.

A ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) informou que oo menos 20 pessoas morreram nesta terça-feira, 27 de novembro de 2012, num ataque aéreo do exército sírio na região de Idlib, no norte do país. As autoridades sírias informaram oficialmente que mataram 142 militantes radicais islâmicos estrangeiros no país.

Publicidade

O bombardeio do exército sírio, contra posições rebeldes no norte do país, atingiu uma fábrica de azeite, localizada a dois quilômetros de Idlib. Segundo moradores da região, ao menos 20 pessoas teriam morrido. Mas um pouco mais tarde, saldo do OSDH indicava que o ataque tinha deixado 5 mortos. Em Aleppo, grande metrópole do norte do país, os opositores continuam tentando cercar a cidade e os confrontos entre rebeldes e as forças leais ao regime de Bashar al-Assad são intensos.

Nas primeiras horas da manhã, um atentado com carro bomba visou um posto de controle montado pela polícia militar, na periferia ao sul da Damasco. Segundo informações do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, a explosão foi seguida por uma troca de tiros. Ainda não foi divulgado o balanço de vítimas.

O exército continua nesta região uma vasta operação para expulsar os rebeldes das redondezas da capital. A ONG síria informa que somente em Daraya, um pequeno vilarejo no sudoeste de Damasco, os combates deixaram 130 mortos nas últimas três semanas.

Militantes radicais islâmicos

As autoridades sírias enviaram carta à ONU com uma lista de 142 militantes islâmicos radicais estrangeiros que foram mortos no país. A informação foi divulgada pelo jornal Al Watan, próximo do poder. Os militantes, originários de 18 países e integrantes da rede Al Qaeda, teriam sido mortos quando combatiam ao lado dos rebeldes. A lista foi enviada em meados de novembro. As autoridades sírias acusam de terrorismo a revolta contra o regime de Bashar al-Assad.

Japão reforça sanções contra Síria

Nesta terça-feira e a três dias de sediar uma reunião dos "Amigos do povo sírio" para apoiar a oposição, o Japão decidiu ampliar a lista de personalidades sírias sujeitas a sanções. O governo japonês incluiu mais 36 integrantes do governo e 19 organizações próximas ao regime de Bashar al-Assad na lista inicial decretada conjuntamente com as autoridades europeias e americanas, em setembro de 2011. Assim como Bashar al-Assad, eles terão seus bens congelados no Japão.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.