Acessar o conteúdo principal
Israel/Posse

Novo governo israelense com abertura para centro-esquerda toma posse

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, teve de negociar com partidos de várias tendências para conseguir sustentação.
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, teve de negociar com partidos de várias tendências para conseguir sustentação. REUTERS/Nir Elias
2 min

Foram quase dois meses de negociações de bastidores, numa das costuras políticas mais complicadas da história do Estado de Israel. Mas, finalmente hoje, o governo israelense de número 33 deve prestar juramento, acabando com o impasse político que paralisa o país desde a convocação de eleições antecipadas, em novembro do ano passado.

Publicidade

Daniela Kresch, correspondente em Tel Aviv

Segundo analistas, o novo governo israelense é menos religioso e contém mais partidos identificados com a esquerda, como o “Movimento”, da ex-chanceler Tzipi Livni, e o “Há Futuro”, do novato Yair Lapid, um ex-apresentador de televisão. O novo gabinete continua com viés direitista, já que também abriga o partido de extrema-direita “Israel Nossa Casa” e a legenda nacionalista “A Casa Judaica”, composta por colonos moradores da Cisjordânia.

O juramento acontece um tanto às pressas e no último minuto, em termos legais. Se, até o fim da semana, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu não conseguisse montar seu novo governo, que deve ter pelo menos 61 membros do parlamento (Knesset), ele poderia perder o posto.

O partido de Netanyahu, o conservador Likud, venceu as eleições parlamentares de 22 de janeiro, conquistando 31 das 120 cadeiras do parlamento. Mas o premiê teve dificuldades de negociar com os outros 11 partidos eleitos, alguns deles com plataformas difíceis de serem conciliadas.

Netanyahu também foi pressionado pela chegada, na quarta-feira, de Barack Obama, que visitará israelenses e palestinos pela primeira vez desde que se tornou presidente dos Estados Unidos, em 2009.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.