Acessar o conteúdo principal
Síria/Liga Árabe

Liga Árabe autoriza países a armar rebeldes na Síria

A cadeira reservada à Síria na Liga Árabe
A cadeira reservada à Síria na Liga Árabe REUTERS/Ahmed Jadallah
Texto por: RFI
2 min

Termina hoje em Doha, a Cúpula da Liga Árabe que teve o conflito sírio como tema principal. Os líderes árabes concordaram em armas os rebeldes que combate o regime de Damasco. A cadeira reservada ao país na reunião foi ocupada pelas representantes da oposição a Bashar Al-Assad.

Publicidade

Karina Hermesindo, correspondente da RFI no Catar

Os chefes de Estado da Liga Árabe decidiram que os países árabes poderão armar os rebeldes na Siria. O emir do Catar, Hamad Al Thani, abriu o encontro convidando o ex-presidente da coalizão síria, Moaz Al-Khatib, a sentar-se na cadeira reservada ao país. Al Khatib pediu demissão no domingo, abrindo assim mais uma crise interna na oposição síria e em sua relação com o principal colaborador, o Catar.

Mas mesmo assim, o ex-presidente da oposição quis participar da Cúpula. Ele justificou sua demissão como forma de protesto contra as grandes potências que só pensam em resolver o conflito na Síria em função de seus interesses e não no sofrimento do povo. Em seu discurso na Cúpula, o ex-chefe da oposição síria pediu o empenho dos Estados Unidos para acabar com os confrontos no país, que já duram dois anos e mataram mais de 70 mil pessoas, segundo a ONU. Al Khatib tambem quer uma cadeira na ONU para a Coalizão Nacional Síria.

O governo de Bachar Al Assad reagiu dizendo que o Catar e seus aliados estavam roubando a cadeira do povo sírio na Liga. De acordo com ele, isso é um crime legal, político e moral, segundo o governo de Bachar Al Assad. Vale lembrar que a Síria ajudou na criação da Liga Árabe em 1945, e era até então uma das vozes mais poderosas da Cupula. No primeiro dia do encontro dos chefes de Estados árabes, eles decidiram que todos os países da Liga Árabe poderao armar os rebeldes.

A Cúpula da Liga Árabe tambem está discutindo sobre a questão da Palestina. O emir do Catar já anunciou que um fundo de 1 bilhão de dólares deve ser criado para ajudar o leste de Jerusalém, ocupado por Israel. O próprio Catar vai contribuir com 250 milhões. Eles também decidiram que uma mini cúpula da Liga, só para tratar da Palestina, será organizada. Para o emir do Catar, a Liga Árabe tem obrigação de defender Jerusalem.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.