Síria/Israel

Em meio a tensão, foguetes sírios atingem território israelense

Membros da força de oposição síria entre decombros na província de Deraa
Membros da força de oposição síria entre decombros na província de Deraa REUTERS/Thaer Abdallah

Dois foguetes da Síria caíram nas colinas de Golã nesta segunda-feira, de acordo com as forças israelenses, sem deixar vítimas. A tensão aumentou na região depois do ataque aéreo efetuado por Israel em território sírio, que deixou 42 soldados mortos, e suscitou preocupação da comunidade internacional, que teme uma escalada da violência na região.

Publicidade

Os foguetes explodiram em um campo perto da linha de cessar-fogo no sul das colinas de Golã. Os tiros, segundo o porta-voz das forças armadas israelenses, são aparentemente resultado dos combates entre a oposição e os soldados do regime. A ONU foi informada do incidente, de acordo com as autoridades de Israel.

A situação na região de Golã está ainda mais tensa depois do ataque perpretado por Israel em território sírio no fim de semana, mas, desde o início do conflito na Síria, há dois anos, incidentes desse tipo têm sido raros. Israel, que oficialmente está em guerra com a Síria desde 1967, ocupa cerca de 1200 quilômetros quadrados das colinas de Golã, que fornecem boa parte da água potável ao território israelense. A comunidade internacional nunca reconheceu a ocupação. Soldados da ONU estão em permanência no local desde 1974, para garantir o cessar-fogo.

Putin liga para Netanyahu

Depois do ataque aéreo efetuado pelas forças israelenses na Síria na sexta e domingo,, que visava supostos carregamentos de armas para o Hezbollah, o presidente Vladimir Putin, tradicional aliado de Bachar al-Assad, ligou para Netanyahu para conversar a respeito da ofensiva isralense. As armas visadas por Israel teriam sido enviadas para a Síria pela Rússia.

Mais cedo, o ministério russo das Relações Exteriores declarou que o governo russo, assim como a comunidade internacional, estava preocupado com a escalada da violência na região. Em um comunicado, os russos declararam que um confronto armado aumenta consideravelmente o risco de tensão entre os países.

Os ataques, que ocorreram sexta e domingo poderiam desencadear um outro conflito envolvendo outros países. O Irã se disse pronto a combater ao lado da Síria, que também teria o apoio do Hezbollah.

Turquia inicia manobras militares

Paralelamente, a Turquia iniciou nesta segunda-feira dez dias de manobras militares a uma centena de quilômetros da Síria. As forças turcas afirmaram que os exercícios acontecerão em Incirlik, base aérea da OTAN situada perto da cidade de Adana. As manobras estavam previsto há muito tempo, segundo o governo turco.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.