Síria/Turquia

Síria aceita investigação conjunta com Turquia sobre ataques na fronteira

Escombros de um prédio, depois da explosão de dois carros-bomba na Turquia, perto da fronteira com a Síria, neste sábado (11)
Escombros de um prédio, depois da explosão de dois carros-bomba na Turquia, perto da fronteira com a Síria, neste sábado (11) REUTERS/Umit Bektas

O regime sírio disse nesta terça-feira estar pronto para abrir uma investigação “conjunta e transparente” com o governo turco sobre o duplo atentado que deixou 51 mortos em Reyhanki, no sul da Turquia perto da fronteira com a Síria

Publicidade

"Se o governo do (primeiro-ministro Recep Tayyip) Erdogan pedir uma investigação comum e transparente entre os dois países, nós não vemos nenhum inconveniente e isto para esclarecer a verdade”, declarou o ministro sírio da Informação Omrane al-Zohbi. “A verdade deve ser informada para os povos turco e sírio”, defendeu.

Os atentados cometidos em Reyhanli deixaram 51 mortos e cerca de 100 feridos. A polícia turca prendeu 13 pessoas suspeitas de envolvimento no caso numa ampla operação para investigar os crimes.

Em um comunicado divulgado nesta terça-feira, o regime de Damasco voltou a recusar qualquer implicação nos ataques realizados na manhã de sábado.

“Tais crimes horríveis são resultados direto da propaganda do terrorismo na região. Eles visam atingir as relações entre os povos turco e sírio”, denunciou o ministro afirmando que todo tipo de acusação contra o governo sírio “é sem fundamento”.

"É o governo turco que assume a responsabilidade da situação que acontece na fronteira comum, na qual se transformou em um abrigo e passagem para os terroristas”, afirmou o ministro no comunicado.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.