Líbano/Síria

Foguetes lançados na periferia de Beirute envolvem Líbano na guerra síria

Sírios carregam cartazes com fotos de Assad e Nasrallah (à esquerda), em manifestação de apoio ao regime sírio, em Sidon, no sul do Líbano.
Sírios carregam cartazes com fotos de Assad e Nasrallah (à esquerda), em manifestação de apoio ao regime sírio, em Sidon, no sul do Líbano. Reuters/Ali Hashisho

Dois foguetes caíram hoje na zona sul de Beirute, capital do Líbano, em bairros controlados pelo movimento radical xiita Hezbollah. Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas. O incidente aconteceu algumas horas depois de o chefe do Hezbollah, Hassan Nasrallah , anunciar que vai lutar "até o fim" para vencer a guerra contra os rebeldes na Síria. O Hezbollah apoia as tropas do ditador Bashar al-Assad.

Publicidade

O número cada vez maior de combatentes do Hezbollah lutando ao lado das tropas de Assad demonstra que a guerra civil na Síria está próxima de contaminar o Líbano. O Hezbollah se envolveu no conflito a pedido do Irã, que quer manter Assad na liderança do regime em Damasco a qualquer preço, e para isso conta com o apoio da Rússia.

Especialistas observam que o envolvimento do Hezbollah no conflito sírio está prejudicando a imagem do movimento xiita tanto no Líbano quanto em outros países da região. Somente no sábado, 22 combatentes do Hezbollah morreram em combates na Síria. 

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia se reúnem nesta segunda-feira em Bruxelas para encontrar um meio de vencer as resistências no bloco à flexibilização do fornecimento de armas aos rebeldes. A medida é defendida por Paris e Londres.

Hoje, o governo da Síria confirmou que vai participar da conferência de paz que a Rússia e os Estados Unidos querem promover ainda em junho, em Genebra, para encontrar uma solução política ao conflito na Síria. A guerra já deixou 94 mil mortos em pouco mais de dois anos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.