Síria/Conflito

Assad confirma ter recebido mísseis da Rússia e diz que pode tentar reeleição

Bashar al-Assad (d) durante entrevista concedida ao canal de televisão al-Manar.
Bashar al-Assad (d) durante entrevista concedida ao canal de televisão al-Manar. REUTERS/SANA/Handout via Reuters

O presidente sírio Bashar al-Assad afirmou nessa quinta-feira, 30 de maio, que poderia tentar a reeleição em 2014 se o povo desejar. A declaração foi feita durante uma entrevista concedida a um canal de televisão libanês. O chefe de Estado também confirmou que a Rússia entregou mísseis ao regime de Damasco.

Publicidade

Apesar das críticas da comunidade internacional contra o regime de Damasco, que afundou o país em um conflito que dura mais de dois anos e já matou mais de 80 mil pessoas segundo as Nações Unidas, o presidente Bashar al-Assad não parece disposto a deixar o poder. Em uma entrevista concedida nessa quinta-feira a um canal de televisão do movimento xiita libanês Hezbollah, o chefe de Estado se disse “muito confiante” na vitória de suas tropas contra os rebeldes e que poderia, inclusive, tentar a reeleição. “Essa questão será decidida na hora certa. Se eu sentir que há uma necessidade de me candidatar e se o povo desejar essa candidatura, eu não hesitarei”, declarou Assad à jornalista do canal al-Manar. “Mas se o povo sírio não quiser, eu não me candidato”, ponderou.

Assad também confirmou, mesmo que implicitamente, ter recebido mísseis de Moscou. “Os acordos assinados com a Rússia não estão ligados à crise. Todos eles serão honrados e uma parte foi honrada recentemente. Nós e os russos continuamos honrando nossos compromissos”, disse o chefe de Estado.

Durante a entrevista o presidente sírio também avisou que qualquer acordo de paz no país que venha a ser concluído durante a conferência de Genebra deverá ser aprovado pelo povo. “A única condição é que tudo seja submetido à opinião pública síria e a um referendo sírio”, declarou Assad. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.