Síria/Conflito

Primeiros mísseis antiaéreos russos já teriam chegado à Síria

Segurança pessoal do presidente da Síria Bashar al-Assad em Damasco, 27 de maio de 2013
Segurança pessoal do presidente da Síria Bashar al-Assad em Damasco, 27 de maio de 2013 REUTERS/ Alaa Al-Marjani

O Exército sírio já teria recebido um primeiro carregamento de mísseis antiaéreos S-300 da Rússia. A entrega dos armamentos foi implicitamente confirmada pelo presidente sírio, Bashar al-Assad, nesta quinta-feira, 30 de maio de 2013. A oposição síria declarou hoje que não vai participara da conferência internacional sobre o conflito se o Hezbollah continuar combatendo no país.

Publicidade

O presidente sírio fez a confirmação velada na entrevista gravada que ele concedeu ao canal de TV libanês Al Manar, do movimento xiita Hezbollah, que apoia o regime sírio no combate aos rebeldes. A entrevista é transmitida na tarde desta quarta-feira, no horário do Brasil.

Ontem, a Rússia afirmou que os mísseis antiaéreos S-300 vendidos à Síria são um fator de contenção contra uma possível ingerência externa no país árabe. Israel não esconde sua preocupação com o fornecimento de sistema antiaéreos da Rússia para a Síria. Mas Moscou relativiza o risco para a região, alegando que o contrato estava assinado há vários anos, e pelas características desses armamentos, segundo os rumos, eles não poderiam ser utilizados por grupos armados ilegais que lutam na Síria.

Conferência sobre a Síria

Representantes dos Estados Unidos, Rússia e Nações Unidas vão se reunir no dia 5 de junho em Genebra para preparar a conferência internacional sobre a Síria. A proposta da reunião visando negociar o fim do conflito no país foi feita por Moscou e Washington no início de maio a integrantes do regime e da rebelião na Síria. Mas a iniciativa parece cada dia mais comprometida.

A oposição síria anunciou hoje que não participará dessa conferência de paz enquanto o grupo xiita Hezbollah e o Irã continuarem “invadindo” a Síria. A declaração do chefe da oposição, George Sabra, faz referência ao apoio do Hezbollah ao exército do regime nos combates em Quseir, no oeste do país.

As forças de Bashar al-Assad garantem que estão ganhando terreno na região. A oposição, reunida em Istambul, fez um apelo para que centenas de civis feridos, que estão bloqueados em Quseir, sejam socorridos.

O conflito na Síria, iniciado em março de 2011, já deixou ao menos 80 mil mortos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.