Brunei/Lei islâmica

Sultanato de Brunei adota lei islâmica para muçulmanos

O sultão Hasanal Bolkiah anunciou em discurso oficial a promulgação do novo código penal islâmico.
O sultão Hasanal Bolkiah anunciou em discurso oficial a promulgação do novo código penal islâmico. REUTERS/Ahim Rani/Files

O sultanato de Brunei, pequeno país localizado na costa norte da ilha de Bornéo, tornou-se hoje o primeiro país do sudeste asiático a introduzir a lei islâmica, também chamada xariá. A lei islâmica prevê penas como a lapidação em caso de adultério, a amputação de membros em caso de roubo, e flagelação para aborto e consumo de álcool.

Publicidade

O sultão de Brunei, Hasanal Bolkiah, um dos homens mais ricos do mundo, anunciou em um discurso oficial a promulgação do novo código penal islâmico apenas para os cidadãos de religião muçulmana. A xariá entrará em vigor gradualmente nos próximos seis meses.

Dos 400 mil habitantes de Brunei, dois terços são muçulmanos, 13% são budistas e 10% cristãos. O islamismo é a religião oficial praticada no país, com mais rigor do que em países vizinhos como a Malásia e a Indonésia, maior país muçulmano do mundo. Na Indonésia, a xariá foi adotada exclusivamente na província autônoma de Aceh, na ilha de Sumatra.

Com a introdução da xariá, o sultão de Brunei declarou estar cumprindo seu dever diante de Alá.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.