Rússia/Alemanha

Snowden quer testemunhar no caso de escutas de Angela Merkel

Edward Snowden (à esq.) posa ao lado do parlamentar alemão, Hans-Christian Stroebele, em local não identificado na Rússia,  em foto desta quinta-feira, 31 de outubro de 2013.
Edward Snowden (à esq.) posa ao lado do parlamentar alemão, Hans-Christian Stroebele, em local não identificado na Rússia, em foto desta quinta-feira, 31 de outubro de 2013. REUTERS/Handout

O ex-consultor da Agência americana de segurança Edward Snowden, que se encontra refugiado na Rússia, poderá prestar depoimento aos procuradores de justiça da Alemanha. O assunto foi discutido durante um encontro dele com um deputado do parlamento alemão que pediu a Snowden ser testemunha nas investigações sobre o escândalo de escutas telefônicas envolvendo a chanceler Ângela Merkel.

Publicidade

Snowden encontra-se na Rússia onde vive como refugiado e não pode deixar o país para não perder o estatuto. Mas, segundo seu advogado Anatoli Koutcherena, o ex-consultor pode prestar depoimento na Rússia sobre o caso.

“No âmbito de acordos internacionais, Snowden pode testemunhar na Rússia, mas cabe às autoridades alemãs decidir”, afirmou o advogado em entrevista à Rádio Echo, de Moscou.

"Snowden não irá à Alemanha. É impossível porque ele não pode ultrapassar a fronteira russa. Se ele o fizer, pode perder o estatuto de refugiado”, explicou Koutcherena.

O ministro alemão do Interior, Hans-Peter Friedrich, indicou nesta sexta-feira que Berlim estaria pronta para ouvir o fugitivo americano porque ele sabe de muitas coisas.

O encontro de Edward Snowden com o deputado ecologista alemão Hans-Christian Ströbele, aconteceu na quinta-feira em um local secreto. O parlamentar estava acompanhado de dois jornalistas.

Nesta sexta-feira o gabinete de Friedrich divulgou uma foto do encontro que mostra os dois homens no interior de um local que parece um hotel. Na ocasião, Snowden entregou ao deputado uma carta dirigida ao governo alemão, à Bundestag (câmara baixa do parlamento) e à procuradoria de justiça.

Na mensagem, Snowden disse ter certeza de que com o apoio da comunidade internacional, o governo americano irá parar de prejudicá-lo. “Espero com impaciência falar com vocês no vosso país quando a situação estiver resolvida”, escreveu Snowden.

Em entrevista para a rede de televisão ARD, o deputado Ströbele afirmou que o americano "demonstrou saber de muitas coisas e que ele estaria disposto a esclarecer tudo”.

O parlamentar acrescentou que Snowden estaria disposto a viajar à Alemanha para prestar depoimento. O deputado também propôs que ele seja ouvido na própria Rússia sobre o caso de espionagem envolvendo a chanceler Angela Merkel que teve suas conversas telefônicas interceptadas pela NSA.

O Kremlin se recusou a fazer qualquer comentário apesar de que o presidente Putin tinha imposto como condição para concessão do asilo à Snowden que ele parasse com atividades que "pudessem prejudicar" os Estados Unidos durante sua permanência no país.

Segundo seu advogado, Edward Snowden conseguiu emprego na Rússia e a partir desta sexta-feira deve trabalhar na manutenção de um site bastante conhecido no país. O nome do site e o local onde Snowden irá trabalhar são mantidos sob sigilo.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.