Coreia do Sul/tragédia

Ferry-boat na Coreia do Sul naufraga com mais de 450 pessoas a bordo

Navios da guarda costeira da Coreia do Sul e cerca de 20 helicópteros participavam nesta quarta-feira (16)do socorro do naufrágio de ferry na Coreia do Sul
Navios da guarda costeira da Coreia do Sul e cerca de 20 helicópteros participavam nesta quarta-feira (16)do socorro do naufrágio de ferry na Coreia do Sul REUTERS/South Korean Navy/Yonhap

Um ferry-boat com mais de 470 pessoas, a maioria estudantes, naufragou nesta quarta-feira (16) na Coreia do Sul. Pelo menos duas pessoas morreram, e até agora apenas cerca de 180 pessoas foram resgatadas. De acordo com as autoridades, 300 passageiros ainda podem estar a bordo do navio. A presidente sul-coreana Park Geun-hye pediu que todos os barcos que estivessem próximos do ferry mudassem de rota para auxiliar no socorro das vítimas.

Publicidade

De acordo com as autoridades sul-coreanas, ainda é díficil obter informações "confiáveis" sobre o que aconteceu com as 300 pessoas que estavam a bordo do ferry. Mas já se sabe que a maioria era estudantes secundaristas que haviam embarcado para uma viagem escolar, acompanhados por 14 professores.

Também estavam a bordo 29 membros da tripulação. A embarcação também transportava 150 veículos. O barco fazia o trajeto entre o porto de Incheon, no Oeste do país, até a ilha de Jeju, no extremo sul, que é um destino de férias, conhecido como o “Havaí coreano”. O primeiro sinal de alerta foi enviado às 9h no horário local, 21h no Brasil.

As causas do acidente por enquanto ainda não foram esclarecidas, mas os relatos parecem indicar que o barco se chocou contra um obstáculo.

Um estudante contou que um enorme barulho foi ouvido e alguns passageiros teriam caído com violência antes de a embarcação começar a submergir. A possibilidade de uma tempestade foi descartada, já que as condições meteorológicas eram boas.

O barco começou a afundar pela frente e acabou inclinando sobre o lado esquerdo. As primeiras imagens mostram os passageiros vestindo coletes salva-vidas e entrando nos botes enquanto a água ia subindo pouco a pouco.

Alguns acabaram se jogando no mar, de onde iam sendo resgatados por equipes de socorro em barcos e helicopteros, e também por um outro barco, que parecia ser de pescadores. A temperatura da água era de 12 graus. O transporte em barcos é muito comum na Coreia do Sul, que é um país com muitas ilhas, e acidentes são bastante raros.

Presidente pede que barcos próximos ajudem no resgate

A presidente sul-coreana Park Geun-hye pediu que todos os barcos que estivessem próximos do ferry mudassem de rota para auxiliar no socorro das vítimas. Segundo um responsável do governo, 18 helicópteros e 34 embarcações da marinha, além de guarda-costas, participam das operações.

A Marinha americana enviou um navio anfíbio, o USS Bonhomme Richard, para participar das buscas. O navio finalizava uma patrulha de rotina na costa oeste da Coreia do Sul antes de ser enviada ao local do acidente.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.