China/terremoto

Pelo menos 391 morrem e 1800 ficam feridos em terremoto na China

Pelo menos 1800 pessoas ficaram feridas no terremoto deste domingo na China
Pelo menos 1800 pessoas ficaram feridas no terremoto deste domingo na China (Foto: Reuters)

As equipes de resgate continuam nesta segunda-feira (4) as operações em busca de sobreviventes do terremoto que atingiu o sudoeste da China provocando a morte de ao menos 391 pessoas e deixando mais de 1800 feridos. Segundo a imprensa oficial chinesa, dois helicópteros, dois aviões e mais de 7 mil homens foram mobilizados. 

Publicidade

Luíza Duarte, correspondente da RFI em Hong Kong

Tropas equipadas com instrumentos para detectar vida e equipamentos para escavação estão a caminho da principal zona atingida, localizada a cerca de 370 km a nordeste de Kunming, capital da região do Yunnan.

A previsão de chuva para os próximos quatro dias pode dificultar o trabalho de resgate. Há risco de deslizamentos de terra e alagamentos na área afetada.

Primeiro-ministro chega ao local

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, chegou nesta tarde ao local para orientar as autoridades no plano de emergência após o terremoto, o mais forte que atingiu a região nos últimos 14 anos. O desastre é o terceiro mais grave da China em número de mortos nos últimos 6 anos e afeta uma das regiões mais pobres do país.

O principal jornal do Partido Comunista Chinês, People Daily, divulgou em seguida, através de sua conta no Twitter, uma imagem de Keqiang caminhando até uma das zonas atingidas. A legenda indica que o primeiro-ministro chinês teve que realizar parte do trajeto a pé, cerca de 5km, já que nenhum veículo pode circular nas vias bloqueadas.

Segundo a imprensa oficial chinesa, 12 mil casas desabaram e 30 mil foram danificadas. Milhares de pessoas foram evacuadas para áreas seguras e foi lançado à população um pedido de doação de sangue, para atender centenas de feridos.

Casas estão sem energia e estradas bloqueadas

Muitas localidades ainda estão sem energia e estradas foram atingidas dificultando a circulação de pessoas e suprimentos, como comida, medicamentos, água e tendas, considerados urgentemente necessários.

Na noite de domingo (3), o presidente chinês, Xi Jinping, pediu que todos os esforços sejam concentrados em salvar vidas.

O terremoto de magnitude 6.1 foi registrado por volta das 4h30 da tarde deste domingo do horário local, 3h30 da manhã do horário de Brasília.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.