Japão/Catástrofe natural

Deslizamentos de terra matam ao menos 36 no Japão

Deslizamentos de terra em Hiroshima, no sudoeste do Japão, já fizeram ao menos 36 mortos nesta quarta-feira (20).
Deslizamentos de terra em Hiroshima, no sudoeste do Japão, já fizeram ao menos 36 mortos nesta quarta-feira (20). REUTERS/Toru Hanai

Pelo menos 36 pessoas morreram e sete estão desaparecidas em consequência de deslizamentos de terra provocados por tempestades em Hiroshima, no sudoeste do Japão. O serviço de meteorologia prevê mais chuvas fortes nas próximas horas, o que pode agravar a situação.

Publicidade

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, interrompeu suas férias para acompanhar de perto a situação em Hiroshima. Ele ordenou o reforço das equipes de resgate com soldados das forças de autodefesa. No total, 630 homens foram enviados ao local do desastre, onde trabalham em condições muito difíceis.

Os deslizamentos de terra aconteceram durante a madrugada, pegando a população de surpresa. Um dos integrantes dos serviços de resgate figura entre os mortos.

Muitas residências na região são construídas em madeira, o que as torna mais vulneráveis nesse tipo de desastre. Imagens da televisão japonesa mostraram quarteirões inteiros de casas engolidas pela lama.

Muitos habitantes se refugiaram sobre os tetos e tiveram que ser retirados com a ajuda de helicópteros.
Especialistas alertam que os deslizamentos de terra podem continuar nos próximos dias, pois há previsão de mais chuvas fortes

Condições meteorológicas fora do comum

Nas últimas semanas, o Japão foi atingido por uma série de fortes tempestades, especialmente nas regiões sudoeste e norte. Com isso, o nível dos rios aumentou bem acima do nível de alerta. Grandes quantidades de água também se acumularam em terrenos elevados, que acabaram cedendo.

As autoridades haviam alertado sobre o risco de deslizamento de terra em várias áreas do sudoeste e do norte do arquipélago, onde foram registradas quantidades inéditas de chuva em intervalos de tempo muito reduzidos.

Nesta quarta-feira, várias zonas ainda estavam em alerta, sobretudo a província de Fukuoka. As condições meteorológicas permanecem instáveis, segundo os serviços especializados, mesmo se as chuvas devem se tornar mais fracas na região afetada.

A situação atual, agravada pela passagem recente de vários tufões, havia levado as autoridades a aconselharem centenas de milhares de pessoas a deixarem temporariamente suas casas nas últimas semanas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.