Ucrânia/ crise

Ucrânia alerta para entrada de mais blindados russos em seu território

Coluna de blindados russos estacionados em Kamensk-Sahakhtinsky, na região de Rostov, próxima da Ucrânia, no fim de semana.
Coluna de blindados russos estacionados em Kamensk-Sahakhtinsky, na região de Rostov, próxima da Ucrânia, no fim de semana. REUTERS/Alexander Demianchuk

O exército ucraniano afirma, nesta quarta-feira (27), que uma coluna de blindados russos avança pela região sudeste do país, onde novos confrontos tiveram início há dois dias. Uma segunda coluna de veículos de guerra também teria recém-ingressado no território ucraniano. No leste, os separatistas pró-Rússia realizam um contra-ataque para retomar o controle da região. 

Publicidade

Em comunicado, o Estado-Maior das Forças Armadas garante ter informações de que uma coluna formada por 100 veículos entre tanques, blindados e lança-foguetes Grad está na estrada entre as cidades de Starobecheve e Telmanove e se dirige para Telmanove, distante 80 quilômetros de Donetsk, reduto de rebeldes pró-russos.

O exército ucraniano afirma que uma segunda coluna acabou de atravessar a fronteira com a Rússia e avança pela cidade de Dibrovka, a 110 quilômetros de Donetsk, onde três civis morreram nas últimas 24 horas por tiros de morteiros.

A entrada de armamento pesado russo na Ucrânia se intensificou nos últimos dias. Na segunda-feira (25), uma outra coluna composta por seis lançadores de foguetes Grad e caminhões foi impedida de avançar em Novoazovsk, após combates que só se encerraram ontem.

Ao mesmo tempo, os separatistas iniciaram um contra-ataque para tentar retomar o controle da região leste, onde as autoridades ucranianas conseguiram importantes avanços nas últimas semanas.

Ajuda humanitária

Nesta quarta-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que a ajuda humanitária russa às populações do leste ucraniano vai ser coordenada pela Cruz Vermelha, com o acordo das autoridades de Kiev. O porta-voz do Kremlin destacou que “a necessidade de levar ajuda (...) devido à agravação da catástrofe humanitária no leste da Ucrânia” foi um dos pontos importantes de uma cúpula regional ocorrida nesta terça-feira em Minsk, com a participação de Putin e do presidente da Ucrânia, Petro Porochenko.

Durante o evento, o líder russo acusou o ucraniano de “negar a complexidade da situação humanitária” que, segundo ele, “não pode ser descrita de outra maneira a não ser catastrófica”. Putin informou que “alguns acordos foram concluídos”, mas não entrou em detalhes.

Em Donetsk e Lugansk, as duas principais cidades controladas pelos insurgentes pró-russos, mais de 2.200 pessoas já morreram em combates, entre civis e militares dos dois lados do conflito.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.