Cúpula/Otan

Cúpula da Otan que começa hoje pode ser a mais importante desde o fim da Guerra Fria

Segurança sem precedentes para a Cúpula da OTAN que acontece até amanhã.
Segurança sem precedentes para a Cúpula da OTAN que acontece até amanhã. REUTERS/Yves Herman

A cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que começa nesta quinta-feira (4), em Newport, País de Gales, é o primeiro grande encontro da organização desde o início da crise na Ucrânia, em fevereiro. Por causa da quantidade e da gravidade dos vários conflitos que estão ocorrendo no mundo, analistas estão considerando essa reunião a mais importante da Otan desde o fim da Guerra Fria. Informações da correspondente da RFI em Londres, Maria Luísa Cavalcanti.

Publicidade

São esperados os líderes dos 28 membros da aliança militar, entre eles os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da França, François Hollande, além da chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, o anfitrião do evento. Os conflitos no leste da Ucrânia devem dominar as discussões. Mas a ascensão do Estado Islâmico na Síria e no Iraque e a situação no Afeganistão também estão na pauta.

Linha Direta 04/09/14

A Ucrânia não faz parte da Otan, mas tem conseguido o apoio da aliança diante da situação de instabilidade no leste do país, onde rebeldes separatistas armados estão em confronto com as forças do governo. A Otan defende a ideia de que os rebeldes estão recebendo armas e sendo treinados pela Rússia, o que os russos negam. E a aliança também planeja reforçar a segurança em outros países do leste europeu, principalmente as antigas repúblicas soviéticas.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, foi convidado para a cúpula e, na manhã desta quinta-feira, antes mesmo do início oficial do encontro, deve se reunir com Barack Obama, David Cameron, Angela Merkel e François Hollande para conversar sobre as últimas negociações com o presidente russo, Vladimir Putin. Na quarta-feira, o governo ucraniano chegou a anunciar que os dois países tinham fechado um acordo de cessar-fogo permanente, mas os líderes ocidentais querem conhecer melhor as condições e a validade desse acordo.

Obama e Cameron assinam artigo no Times

O avanço das ações do Estado Islâmico no Iraque e na Síria também será discutido. Nesta quinta-feira, o jornal The Times, de Londres, trouxe um artigo assinado conjuntamente pelo presidente Obama e pelo premiê David Cameron, no qual eles afirmam que não vão se intimidar pelas ações perpetradas pelo grupo extremista, como as recentes execuções de jornalistas americanos.

Outro assunto importante é a retirada das forças da Otan do Afeganistão, que estava prevista para agora. O bloco deve discutir como transferir as funções da segurança para o país. A Otan também deve, de maneira geral, fazer uma avaliação sobre se está ou não preparada para os desafios da segurança mundial neste início de século.

Vale lembrar que, independentemente dos conflitos que o mundo está vivendo hoje, a Otan ainda é a maior aliança militar internacional. Juntos, os países-membros gastam o equivalente a 70% do total das despesas militares de todo o mundo. Então é esperado que os líderes reunidos no País de Gales façam algum anúncio relativo ao incremento de suas forças.

Segurança em Londres reforçada

A Otan realiza encontros como este com frequência, em média a cada dois anos, alternando as sedes entre os países-membros. O encontro de hoje já estava agendado bem antes de o alerta para risco de terrorismo ser aumentado no Reino Unido.

A cúpula acontece em um famoso resort no sul do País de Gales, não muito longe da capital, Cardiff. Isso deve garantir um certo afastamento aos chefes de Estado e aos quase 4 mil delegados participantes. O esquema de segurança está bastante reforçado, com uma cerca metálica instalada em um raio de mais de 13 quilômetros do resort e também em alguns pontos de Cardiff.

O trânsito através dessa cerca só será permitido a pessoal autorizado. Além disso, navios e aviões militares também estão posicionados na região.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.