Ucrânia/Crise

Confrontos no leste da Ucrânia matam 6 e ameaçam cessar-fogo

Blindado do exercito da Ucrânia destruído no vilarejo de Lutugine, próximo de Lugansk, leste da Ucrânia.
Blindado do exercito da Ucrânia destruído no vilarejo de Lutugine, próximo de Lugansk, leste da Ucrânia. REUTERS/Marko Djurica

O cessar-fogo no leste da Ucrânia está por um fio. Seis civis morreram nas últimas 24h em consequência dos combates entre tropas do Exército ucraniano e rebeldes separatistas, que tentam tomar o controle do aeroporto de Donetsk.

Publicidade

Esses enfrentamentos, com artilharia pesada, são os mais violentos desde a assinatura do acordo entre os rebeldes e o governo de Kiev no dia 5 de setembro. Amanhã, o parlamento ucraniano vota um projeto de lei que prevê anistia a prisioneiros e um status especial para alguns distritos das regiões separatistas de Donetsk e Lugansk.

Kiev prometeu dar mais autonomia à população do leste da Ucrânia que fala russo e se sente culturalmente mais próxima da Rússia, mas líderes separatistas, apoiados por Moscou, semeiam instabilidade prometendo lutar até o fim pela independência dessas regiões.

Após alguns dias de calmaria, a tensão volta a crescer na Ucrânia com o início, nesta segunda-feira, de exercícios militares conjuntos de 15 países, incluindo os Estados Unidos, perto da cidade de Lviv. Esses exercícios nada têm a ver com a OTAN e estavam previstos. O risco de fricção é que pela primeira vez, desde o início da crise entre Moscou e Washington, em abril, 200 paraquedistas americanos participam das manobras militares no leste da Ucrânia.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.