Coreia do Norte/rumores

Ausência de líder norte-coreano gera rumores de golpe

Kim Jong-un, em julho de 2014.
Kim Jong-un, em julho de 2014. Reuters

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-um, não é visto em público há mais de um mês, gerando especulações de problemas de saúde ou de golpe de Estado. Ele é aguardado nesta sexta-feira (10) para comparecer às cerimônias de 69 anos da fundação do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte.

Publicidade

A mídia norte-coreana, que habitualmente fornece boletins detalhados de cada ato de Kim, não se refere ao dirigente desde o dia 3 de setembro, quando ele compareceu a um concerto, acompanhado da mulher.

Nos últimos dois anos, Kim participou das celebrações do 10 de outubro e visitou o mausoléu onde estão os corpos de seu pai e avô, ditadores que o antecederam. “Se ele não aparecer, isso vai alimentar os rumores de que o jovem líder passa por um momento difícil, seja qual for”, declarou Curtis Melvin, pesquisador do Instituto EUA-Coreia, da Escola John Hopkins de Estudos Internacionais Avançados, em Washington.

“Quanto mais tempo ele ficar longe do olhar do público, mais inquietude isso vai gerar sobre o seu regime e seu próprio destino”, acrescentou Melvin. Um alto responsável norte-coreano em visita oficial a Seul, capital da Coreia do Sul, afirmou, no último domingo, que Kim Jong-un “não tem nenhum problemas de saúde”. Para um representante da administração americana, essa ausência pode ser um golpe tático. A CNN especulou que o país poderia estar sendo governado por uma irmã do ditador.

Obesidade ou golpe?

Mas uma fonte com ligações junto às autoridades de Pyongyang e de Pequim, que é o governo mais próximo da Coreia do Norte, declarou que Kim estaria com problemas em uma perna desde o final de agosto e início de setembro, resultado de uma lesão causada pelo excesso de peso. O período de recuperação seria de três meses. Essa fonte acrescentou que Kim continua com controle total do governo. “Os rumores de golpe de Estado ou de morte são absurdos”, declarou.

Não é a primeira vez que Kim Jong-un desaparece por um certo período. Em junho de 2012, seis meses após subir ao poder, nada foi dito ou publicado sobre Kim durante 23 dias pela mídia norte-coreana.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI