Inauguração de shopping deixa partidários de Assad indignados

Fachada do shopping em Tartus, na Síria.
Fachada do shopping em Tartus, na Síria. facebook.com/tartous.mall.sy

O presidente sírio, Bashar al-Assad, irritou partidários do regime ao inaugurar um shopping center milionário em Tartus, cidade da costa mediterrânea da Síria. Os pró-regime consideram o projeto "indecente" em um país em ruínas.

Publicidade

O shopping de US$ 50 milhões, com um centro de lazer, sete restaurantes, uma ala de jogos para crianças e lojas de grandes marcas, como Ricci e Sephora, foi muito mal recebido pela população. O projeto é considerado uma "indecência" diante dos 180 mil mortos na guerra.

facebook.com/tartous.mall.sy

O site de economia "Syria Report" nota uma violenta reação de simpatizantes do regime nas redes sociais. "Mesmo sendo um projeto do setor privado, todo mundo sabe que esse tipo de operação conta com o apoio das autoridades", afirma o diretor do site, Jihad Yazigi.

Após três anos e meio de sangrenta guerra civil, Assad enfrenta um desgate considerável entre seus defensores. As perdas militares na guerra contra os rebeldes e extremistas, além da morte de cinquenta crianças em atentados recentes na cidade de Homs (centro) aumentaram a amargura no país.

O descontentamento se cristalizou com os anúncios do governo de inauguração do shopping e de outros projetos turísticos em Tartus. A cidade abriga uma base militar da Rússia e é um tradicional reduto político de Assad.

País em ruínas

A Síria está em ruínas. A guerra civil arrasou as infraestruturas do país, além de ter criado 9 milhões de refugiados. Nas redes sociais, as críticas são ácidas. "O chefe de governo inaugurou um shopping em Tartus, cidade em que 60% da população não tem dinheiro para fazer compras", disse um internauta.

A revolta é manifestada principalmente por pessoas que demonstravam, até pouco tempo, uma lealdade incondicional a Assad. Uma internauta afirmou no Twitter que é uma vergonha "o governo gastar dez milhões de libras sírias em um empreendimento comercial, enquanto soldados pagam suas cirurgias do próprio bolso e só têm pão e batata para comer".

Oásis sírio

A maioria dos soldados mortos em combate são originários da região de Tartus, o que aumenta o constrangimento para Assad. A costa mediterrânea da Síria é considerada um "reservatório humano" do Exército e das milícias pró-regime.

Muitas famílias que fugiram da violência no centro e norte do país, principalmente das províncias de Alepo e Idlib, se instalaram em Tartus, atraídas pelo ambiente calmo. Esse aumento repentino da população deu outra dinâmica econômica à região e a ideia de construir um shopping, explica o diretor do site "Syria Report". Segundo Yazigi, "o estado de espírito dos simpatizantes de Assad mudou".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI