África do Sul/Justiça

Caso Pistorius: juíza vai anunciar sentença na terça-feira

Oscar Pistorius, ao deixar o Tribunal de Pretória nesta sexta-feira, 17 de outubro.
Oscar Pistorius, ao deixar o Tribunal de Pretória nesta sexta-feira, 17 de outubro. REUTERS/Mike Hutchings

A juíza do caso de Oscar Pistorius vai divulgar a sentença do atleta, condenado por homicídio culposo na morte de sua ex-namorada Reeva Steenkamp, na próxima terça-feira, 21 de outubro. Nesta sexta-feira (17), último dia de audiências no Tribunal de Pretória, o advogado de Pistorius, que conseguiu livrá-lo da condenação por assassinato com intenção de matar, pediu que a pena dele seja de prestação de serviços comunitários.

Publicidade

Para o advogado Barry Roux, Pistorius não merece ir para a prisão e deve "fazer algo útil para a sociedade". O remorso que ele sente já é uma pena que o atleta paralímpico carregará para o resto da vida, argumentou seu defensor.

"A dor de Oscar nunca irá se dissipar. O traumatismo emocional é sua pior punição", disse Roux. Ele insistiu que o ex-campeão paralímpico, de 27 anos, "perdeu tudo" e enfrenta dificuldades financeiras. Ele insistiu no "remorso sincero" de seu cliente.

Barry Roux também evocou diversas vezes a deficiência do sul-africano que é amputado das duas pernas. Segundo o advogado, encaminhar Pistorius a um departamento médico da penitenciária central de Pretória, como foi sugerido, "não seria uma punição adequada".

Pistorius chorou quando seu advogado relatou sua derrocada de "ídolo do esporte" a assassino depois de ter matado a tiros sua namorada, em fevereiro de 2013. A juíza Thokozile Masipa acatou a tese de que Pistorius confundiu a ex-modelo com um ladrão.

Pena mínima de 10 anos de prisão

A acusação quer que Pistorius vá para a cadeia e considera a reclusão a pena mais adequada para o caso. O promotor Gerrie Nel considerou a proposta do advogado de Pistorius  "chocante e inapropriada". "A pena mínima que seria satisfatória para a sociedade é de 10 anos de prisão", disse o promotor ao concluir sua argumentação.

Antes, Nel respondeu que, durante sua carreira de atleta, Oscar Pistorius sempre fez questão de ser tratado como um homem como outro qualquer. "Ele apela para sua deficiência quando lhe convém", acusou o promotor.

O advogado de Pistorius afirmou que o atleta não vai aceitar de volta o dinheiro pago aos familiares de Reeva Steenkamp, como foi estipulado. "Se eles não quiseram guardar o dinheiro, Oscar Pistorius deseja que esse dinheiro seja doado a uma obra de caridade", disse Roux.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI