Papa/Ásia

Papa pede nas Filipinas luta contra a pobreza e o desvio de valores cristãos

O papa Francisco na catedral de Manila nesta sexta-feira (16/01).
O papa Francisco na catedral de Manila nesta sexta-feira (16/01). REUTERS/Romeo Ranoco

Durante sua visita nesta sexta-feira(16) às Filipinas, última etapa de seu giro pelo continente asiático, o papa Francisco pediu para os líderes religiosos locais lutarem contra "forças poderosas" que atacam os valores cristãos e levam jovens a se deixarem influenciar por "representações confusas" da sexualidade, do casamento e da família. O sumo pontífice também pediu para eles combaterem as desigualdades sociais "escandalosas" no país.

Publicidade

No primeiro dia de sua visita às Filipinas, Jorge Bergoglio, de 78 anos, celebrou uma missa na catedral de Manila. Durante a homilia, ele pediu para que os padres e religiosos filipinos lutem contra "forças poderosas" que atraem jovens para as "representações confusas da sexualidade, do casamento e da família". Segundo ele, os líderes religiosos locais devem "proclamar a beleza e a verdade da mensagem cristã".

"Essas realidades são sempre mais atacadas pelas forças poderosas que ameaçam desfigurar o plano de Deus sobre a criação", disse o papa em alusão ao divórcio, à contracepção, ao aborto e ao casamento gay.

Cerca de 80% da população de 100 milhões de pessoas é católica. As Filipinas são o único país do mundo onde o divórcio é ilegal. O aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo não são tolerados.

Apesar da expressão de cansaço pela longa viagem e pela agenda sobrecarregada, o líder da Igreja Católica defendeu de maneira enérgica a luta contra as desigualdades no país. Cerca de 25% dos filipinos vivem com menos de US$0,60 por dia, segundo estimativas oficiais.

Segundo o papa, "é preciso mudar as coisas" e "é mais do que nunca necessário que os dirigentes políticos dêem exemplos de honestidade, de integridade e de responsabilidade pelo bem comum". Para Francisco, a Igreja católica filipina, que tem grande influência no país, deve contribuir para combater a pobreza e a exclusão.

Em defesa dos desfavorecidos

Nesta manhã, em Manila, o Papa Francisco visitou uma associação de ajuda aos meninos de rua, entre eles, vítimas de prostituição e de drogas. "Entre os pobres, as crianças pobres são o tesouro da Igreja e nossos mestres", disse o Sumo Pontífice.

Um pouco antes, durante a celebração de uma missa na catedral de Manila, o papa Francisco pediu que os padres e religiosos filipinos estejam presentes entre os jovens que possam ser desencorajados e desorientados.No avião que o levou às Filipinas, o papa denunciou mais uma vez o turismo sexual ocidental e as vítimas da prostituição na Ásia, entre elas, as crianças desfavorecidas.

Ele também se manifestou sobre a liberdade de expressão, tema em evidência após o atentado contra o jornal satírico Charlie Hebdo. O Papa disse que esse "direito fundamental" não autoriza a "insultar a fé do outro".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.