Acessar o conteúdo principal
Iêmen/Violência

Milícias xiitas atacam aeroporto de Aden; Índia e Paquistão retiram cidadãos do Iêmen

Tanque abandonado nas ruas de Aden depois de combates entre milícias xiitas e comitês de defesa do governo.
Tanque abandonado nas ruas de Aden depois de combates entre milícias xiitas e comitês de defesa do governo. Foto: Reuters
2 min

Pelo menos 20 pessoas morreram na madrugada deste domingo (29) em Aden, no sul do Iêmen, em combates entre os comitês de defesa e grupos rebeldes xiitas. As milícias huthis lançaram ataques contra o aeroporto da cidade, provocando incêndios, segundo informações de fontes militares. Governos da Índia e Paquistão começaram a retirada de cidadãos do Iêmen.

Publicidade

Os confrontos para tomar o controle do aeroporto internacional prosseguiram na manhã deste domingo. Os rebeldes retomaram uma posição estratégica perdida no dia anterior, depois de contabilizarem nove mortos, de acordo com uma fonte militar.

Cinco membros dos ciomitês de defesa foram mortos quando expulsaram os rebeldes da pista do aeroporto. Na fuga, os xiitas atiraram com um canhão, provocando incêndios na torre de controle, no salão de honra e em outro prédio.

Segundo militares, onde rebeldes huthis foram capturados depois de combates em uma rodovia estratégica, que leva ao aeroporto.

Aden, segunda maior cidade do Iêmen, é palco de violentos combates que já deixaram 95 mortos nos últimos quatro dias. A cidade mergulhou no caos depois da saída do presidente Abd Rabbo Mansour Hadi para a Arábia Saudita. O chefe de Estado estava refugiado em Aden, mas decidiu se exilar diante da ofensiva das milícias xiitas.

A Arábia Saudita lidera uma coalizão militar que iniciou na quinta-feira uma série de bombardeios contra as milícias e seus aliados.

Paquistão e Índia retiram cidadãos e diplomatas do Iêmen

O Paquistão enviou um Boeing 747 e uma fregata para retirar seu pessoal diplomático e cidadãos do Iêmen. O embaixador do Paquistão no Iêmen, Irfan Shami, anunciou que 482 paquistaneses serão retirados em um primeiro voo.

Um segundo avião, com uma capacidade para 230 pessoas, estava prestes a decolar. Uma fragata deixou Karachi para também repatriar membros da comunidade paquistanesa em solo iemenita. Cerca de três mil paquistaneses vivem atualmente no Iêmen.

A Índia anunciou também neste domingo, pelo chanceler Sushma Swaraj, que se preparava para repatriar os cidadãos indianos no país por via aérea.

Cerca de 4.100 indianos vivem no Iêmen, sendo a grande maioria, 3.100, na capital Sanaa, e 500 em Aden. O ministro das Relações Exteriores confirmou que o governo indiano recebeu autorização das autoridades iemenitas para utilizar o aeroporto da capital por um prazo de três horas, diariamente.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.