Acessar o conteúdo principal
Grupo Estado Islâmico/Síria

Grupo Estado Islâmico mata pelo menos 120 civis em 24h na Síria

Focos de fumaça na cidade síria de Kobane.
Focos de fumaça na cidade síria de Kobane. REUTERS/Murad Sezer
2 min

Ao menos 120 civis morreram por ações do grupo Estado Islâmico (EI) nas últimas 24 horas, desde que os jihadistas conseguiram invadir a localidade de Kobane, informou nesta sexta-feira (26), o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Publicidade

"Segundo fontes médicas e habitantes de Kobane, 120 civis foram executados pelos extremistas em suas casas ou morreram em consequência de ataques de foguetes e franco-atiradores", declarou Rami Abdel Rahman, diretor da organização, acusando o grupo jihadista de ter lançado um de seus piores massacres na Síria.

A este balanço se somam 26 civis executados na quinta-feira (25) em um povoado perto de Kobane, segundo o OSDH, que dispõe de uma ampla rede de informantes na Síria.

"Quando entraram na cidade, os jihadistas tomaram posições nos edifícios nas entradas sudeste e sudoeste e dispararam contra qualquer coisa que se movesse - entraram na cidade com a intenção de matar", disse Abdel Rahman. "Há corpos de civis, incluindo mulheres e crianças, que foram encontrados nas casas, muitos outros nas ruas", acrescentou.

"Os jihadistas sabem que não podem ficar e controlar a cidade diante das numerosas forças curdas. Vieram apenas para matar e atingir a moral dos curdos", declarou o representante da OSDH.

O grupo EI havia lançado na véspera um ataque surpresa com três atentados suicidas em Kobane, de onde foi expulso em janeiro, na primeira derrota desde o início de sua expansão pela Síria. Segundo analistas, este ataque pode ser encarado como uma vingança por parte dos jihadistas, que registraram uma série de derrotas nos últimos dias causadas pelas Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), no norte da Síria.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.