Acessar o conteúdo principal
Tecnologia

Google Street View precisou de cavalos para fotografar interior da Mongólia

Palácio de Inverno Bogd Khan, na capital da Mongólia.
Palácio de Inverno Bogd Khan, na capital da Mongólia. Reprodução
2 min

Depois de fotografar as ruas de milhares de cidades no mundo todo, o serviço Google Street View lançou nesta quinta-feira (23) o resultado de um de seus maiores desafios: integrar no banco de dados a Mongólia, vasto país da Ásia conhecido por ser muito pouco povoado. A tarefa de registrar imagens do país foi árdua e foram utilizados inclusive cavalos no deslocamento.

Publicidade

Em geral, as fotografias das ruas vão sendo feitas conforme um carro do Google, adaptado para receber câmeras de 360 graus no seu teto, avança pelas cidades. No caso da Mongólia, a empresa decidiu fixar as câmeras em uma espécie de carroça puxada por cavalos.

Os animais permitiram à equipe desbravar áreas isoladas, como as margens do lado Ubsugul, o segundo maior do país. Para capturar os relevos acidentados do deserto de Gobi, um funcionário do Google carregou a câmera nas costas, segundo os detalhes que foram revelados pela empresa no lançamento do serviço, na capital da Mongólia, Ulán Bator.

Menor densidade do mundo

No evento, diante das autoridades do país, o Google divulgou as primeiras imagens dos cerca de 5.500 quilômetros de estradas. “Esperamos que a chegada do Street View à Mongólia ajude o país a se tornar um novo destino para os turistas do mundo todo e ajude no crescimento econômico”, disse a representante do Google Susan Pointes.

Com seus três milhões de habitantes, a Mongólia é o país com a menor densidade populacional do mundo. “Foi uma verdadeira aventura”, definiu um membro das equipes de fotografia do Google, afirmando que pelo menos 80% da viagem foi feita fora das principais estradas do país.

(Com informações da AFP)

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.