Guerra civil

Fracassa segunda tentativa de cessar-fogo no conflito do Iêmen

Área residencial após ataque aéreo na cidade de Mokha.
Área residencial após ataque aéreo na cidade de Mokha. REUTERS/Stringer

Apesar da trégua decretada pela coalizão liderada pela Arábia Saudita no Iêmen, a partir da meia-noite desta segunda-feira (27), os rebeldes xiitas houthis realizaram violentos bombardeios em zonas residenciais da cidade de Jebel Sabr, na província de Taez, no sul do país.

Publicidade

O ataque aconteceu pouco depois da entrada em vigor do cessar-fogo humanitário de cinco dias. Outras localidades, Lahj, Dhaleh, também no sul, e Mareb, à leste da capital Sana, também registraram violências nesta madrugada.

No domingo, o chefe dos rebeldes xiitas no Iêmen, Abdel Malak al Huthi, havia rejeitado, em comunicado pelo Twitter, a trégua humanitária decretada pela coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita.

O objetivo da trégua seria prestar assistência aos civis, massacrados pelo conflito que já dura quatro meses. No sábado, um barco do Programa Mundial de Alimentos chegou ao porto de Aden com 3.400 toneladas de suprimentos.

Segundo cessar-fogo fracassado

No último dia 10 de julho, uma primeira tentativa de cessar-fogo de cinco dias não foi respeitada. Um dos líderes dos houthis, Mohamed Ali al-Houthi, declarou que o grupo não foi informado pela ONU sobre a pausa nos combates. De acordo com a ONU, mais de 3.700 pessoas já morreram no conflito, sendo mais da metade das vítimas civis.

Desde julho do ano passado, os houthis conquistaram extensas áreas do país, incluindo a capital Sana, com apoio do de militares leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh. O presidente Abd Rabo Mansur Hadi está exilado na Arábia Saudita, país que, desde março, lançou uma intensa campanha militar para frear o avanço dos xiitas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.