Acessar o conteúdo principal
Coreia do Norte/Urânio

Coreia do Norte pode estar reativando usina nuclear

So Se Pyong, embaixador norte-coreano nas Nações Unidas, durante coletiva de imprensa em Genebra sobre o programa nuclear em seu país, em 29 de julho de 2015.
So Se Pyong, embaixador norte-coreano nas Nações Unidas, durante coletiva de imprensa em Genebra sobre o programa nuclear em seu país, em 29 de julho de 2015. Richard Juilliart / AFP
Texto por: RFI
1 min

A Coreia do Norte pode estar expandindo sua capacidade de extração de urânio, possivelmente para enriquecê-lo ao ponto de fabricar novos armamentos nucleares. A suspeita foi levantada por novas imagens de satélite que mostram que Pyongyang começou a reativar uma centrífuga de transformação do minério no chamado bolo amarelo, o primeiro passo para o enriquecimento de urânio.

Publicidade

"Isso sugere que a Coreia do Norte tem a intenção de extrair e de transformar uma quantidade significativa de urânio que poderia servir de combustível para aumentar o estoque de armas nucleares", afirmou Jeffrey Lewis, especialista de controle do armamento no Instituto de Estudos Internacionais de Monterey, em um estudo publicado nesta quarta-feira (12), no site do Instituto americano-coreano da Universidade Johns Hopkins.

Recentemente, especialistas da revista britânica IHS Jane's estimaram que o país pode ter uma segunda centrífuga de enriquecimento de urânio em Yongbyon. A análise foi feita com base em outras imagens de satélite.

Ainda que esse material possa ter finalidades civis, a Coreia do Norte já conseguiu realizar três testes nucleares com sucesso nos útimos anos (2006, 2009 e 2013). De acordo com um relatório norte-americano recente, Pyongyang está decidida e empenhada em expandir seu programa nuclear nos próximos anos e teria a capacidade de produzir cerca 100 armas atômicas até 2020.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.