Paquistão/Terremoto

Terremoto mata mais de 200 no Afeganistão e no Paquistão

Moradores tentam limpar área atingida pelo terremoto desta segunda-feira, 26 de outubro de 2015, em Mingora, no Paquistão.
Moradores tentam limpar área atingida pelo terremoto desta segunda-feira, 26 de outubro de 2015, em Mingora, no Paquistão. REUTERS/Hazrat Ali Bacha

Um terremoto de magnitude 7,5 na escala Richter matou mais de 160 pessoas nesta segunda-feira (26) no Afeganistão e no norte do Paquistão. O tremor foi sentido até na capital da Índia, Nova Déli, segundo as autoridades. O balanço de vítimas tende a crescer, à medida que as comunicações são restabelecidas na cadeia montanhosa de Hindu Kush, a área mais afetada.

Publicidade

Pelo menos 1.000 pessoas ficaram feridas e milhares de casas foram destruídas, na Índia, no Paquistão e no Afeganistão. O terremoto durou ao menos um minuto e foi seguido por uma réplica de 4,8 graus na escala Richter.

O epicentro do tremor foi 254 km a nordeste de Cabul, na província de Badakhshan, no Afeganistão, e 213 km abaixo da superfície. A poucas centenas de quilômetros dali, um terremoto de 7,6 graus de magnitude causou mais de 75 mil mortes e 3,5 milhões de deslocamentos em 2005.

"Grande perda de vidas"

"Os relatórios iniciais mostram uma grande perda de vidas, além de imensos prejuízos financeiros em Badakhshan, Takhar, Nangarhar, Kunar e outras regiões, incluindo a capital", declarou o chefe do executivo afegão, Abdullah Abdullah.

Por enquanto, 135 mortes foram confirmadas no Paquistão e 33 no Afeganistão, incluindo um grupo de 12 estudantes, pisoteadas enquanto tentavam fugir da escola que ameaçava desabar. Elas eram todas menores de idade, assim como as outras 35 que ficaram feridas no tumulto. "Os números exatos são incertos porque as linhas de telefone caíram e todos os meios de comunicação foram cortados em diversas áreas", afirmou Abdullah.

A falta de contato também complica as operações de resgate, em uma região já carente de infraestrutura. O Paquistão mobilizou soldados e os hospitais militares estão em alerta máximo, afirmou o porta-voz do exército, o tenente general Asim Bajwa, acrescentando que equipamentos de resgate especiais para terremotos e helicópteros do exército estão sendo preparados.

Atividade sísmica

O Afeganistão é frequentemente atingido por terremotos, principalmente na região das montanhas Hindu Kush, próxima da junção entre as placas tecnônicas da Eurásia e da Índia. Os terremotos do sul da Ásia acontecem ao longo de uma falha entre as duas placas - a indiana se desloca para norte e leste a uma taxa de 2 cm por ano contra a outra, sobre a qual estão a Europa e a Ásia. Em maio, no Nepal, dois terremotos gêmeos mataram mais de 8,9 mil pessoas, provocaram imensos deslizamentos e destruíram quase 500 mil casas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.