Acessar o conteúdo principal

Duplo atentado mata 32 pessoas e fere 90 em Homs

Ataques causaram dezenas de vítimas e destruíram parte do bairro de Zahra em Homs, no centro da Síria.
Ataques causaram dezenas de vítimas e destruíram parte do bairro de Zahra em Homs, no centro da Síria. REUTERS/SANA/Handout
Texto por: RFI
3 min

Um duplo atentado suicida deixou pelo menos 32 mortos e mais de 90 feridos em Homs, no centro da Síria, nesta segunda-feira (28). A informação foi divulgada pela Ong Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), baseada em Londres.

Publicidade

A primeira explosão teria sido causada por um carro bomba e a segunda por um kamikaze. Os ataques aconteceram no bairro de Zahra, que é pró-regime. No início do mês, o grupo Estado Islâmico reivindicou um outro ataque que deixou 16 mortos e dezenas de feridos no local.

Um quarto da população de Homs pertence à minoria alauíta, a mesma do presidente sírio, Bashar al-Assad, que tem obtido vitórias contra o grupo jihadista, com o apoio da campanha aérea da Rússia e dos aliados ocidentais. Uma parte da localidade segue, no entanto, sob controle dos insurgentes, principalmente da Frente Al-Nosra, braço da Al-Qaeda e do grupo Estado Islâmico.

Acordos entre Damasco e rebeldes

Mais de 450 combatentes e civis, incluindo alguns feridos, começaram a ser evacuados hoje de três cidades sírias, depois de um acordo entre o regime de Damasco e os rebeldes. Mais de 120 combatentes devem deixar Zabadani, último reduto rebelde na fronteira sírio-libanesa, passando pelo Líbano e Turquia, para outras áreas controladas pela rebelião na Síria, anunciou Rami Abdel Rahmane, diretor do OSDH.

Ao mesmo tempo, 335 civis e combatentes das localidades de Foua e Kafraya, únicas aldeias xiitas na província de Idleb, no noroeste, ainda sob controle militar, vão seguir para áreas sob controle do regime, também cruzando os dois países vizinhos, de acordo com a mesma fonte.

Em setembro, os rebeldes e o regime concluíram um acordo de trégua de seis meses em Zabadani e nas duas cidades xiitas em questão. Negociado pelas Nações Unidas, a primeira fase do acordo prevê o estabelecimento de um cessar-fogo, seguido de um envio de ajuda humanitária e, finalmente, a evacuações de civis e combatentes feridos.

Um outro acordo sem precedentes, que previa a partida no sábado (26) de três bairros do sul do Damasco de cerca de quatro mil civis e jihadistas, pertencentes principalmente ao Estado Islâmico e a Frente Al-Nosra, foi suspenso um dia depois que as forças do governo mataram o poderoso chefe rebelde Zahrane Alluche, da milícia islâmica Jaich Al-Islã.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.