Israel / Ataque / Faixa de Gaza

Autor de tiroteio em Tel-Aviv continua foragido

Reforços militares chegam ao bairro onde aconteceu o ataque de sexta-feira, em Tel-Aviv.
Reforços militares chegam ao bairro onde aconteceu o ataque de sexta-feira, em Tel-Aviv. REUTERS/Nir Elias

A polícia israelense continua à procura do homem que abriu fogo nesta sexta-feira (1) contra um restaurante no centro de Tel-Aviv, matando duas pessoas e ferindo sete. De acordo com a mídia local, o agressor é um árabe-israelense de 29 anos do norte de Israel. Ele teria sido reconhecido nos vídeos de segurança pelo próprio pai, que alertou as autoridades.

Publicidade

Ainda segundo a imprensa israelense, a arma automática usada no crime pertenceria ao pai do agressor foragido, um policial voluntário, e teria sido roubada pelo rapaz. Mas a polícia não confirma essas informações e rejeita uma reivindicação do movimento islâmico Hamas, considerada pouco confiável.

Pessoas que estavam nos arredores do restaurante pensaram estar vivendo um ataque semelhante aos atentados de novembro em Paris. Sexta-feira à tarde, o atirador entrou em uma loja de alimentos saudáveis antes de tirar uma arma de sua mochila, sair do estabelecimento e abrir fogo à queima-roupa contra os clientes do Simta, o bar vizinho. O homem continuou seu caminho e voltou a disparar 150 metros mais adiante contra um segundo estabelecimento, antes de fugir a pé. O gerente do Simta, Alon Bakal, de 26 anos, e Shimon Ruimi, de 30 anos, morreram.

Buscas contam com bloqueios nos acessos à cidade

Micky Rosenfeld, porta-voz da polícia, disse que bloqueios foram criados nas principais vias de acesso a Tel-Aviv para facilitar a localização do suspeito. Rosenfeld estimou que havia "uma alta probabilidade de um ataque terrorista", mas, acrescentou, "nós não excluímos uma motivação criminal".

Este ataque ocorre em meio a uma onda de ataques contra israelenses quase diários e que já dura três meses. Durante esta nova espiral de violência, 138 palestinos e 20 israelenses foram mortos.

Israel ataca posições do Hamas em Gaza

A aviação israelense bombardeou nesta manhã redutos do Hamas, na Faixa de Gaza, mas esse ataque não teria relação com o atentado. A ação seria uma represália a dois foguetes lançados ontem à noite do território palestino em direção ao sul de Israel, sem deixar vítimas.

Desde o fim da guerra em Gaza em 2014, cerca de trinta mísseis lançados a partir do enclave palestino controlado pelo Hamas atingiram o território israelense, de acordo com números do exército.

Militantes sunitas que afirmaram ter vínculos com o grupo Estado Islâmico (EI) reivindicaram vários desses ataques, mas para Israel é o Hamas quem está por trás deles.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.