Acessar o conteúdo principal
Síria/Conflito

Após massacre, grupo EI sequestra 400 civis no leste da Síria

A cidade de Deir Ezzor, no leste da Síria, destruída pelos combates que opõem os combatentes do grupo EI às forças fiéis ao regime.
A cidade de Deir Ezzor, no leste da Síria, destruída pelos combates que opõem os combatentes do grupo EI às forças fiéis ao regime. REUTERS/Khalil Ashawi
Texto por: RFI
3 min

O grupo Estado Islâmico sequestrou ao menos 400 civis, entre eles mulheres e crianças, no leste da Síria, informou neste domingo (17) a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). O sequestro aconteceu após o ataque do movimento jihadista contra a cidade de Deir Ezzor no sábado (16), quando menos 135 pessoas morreram, a maioria executadas pelos combatentes do grupo EI.

Publicidade

O diretor da OSDH, Rami Abdel Rahman, indicou à AFP que o sequestro de civis aconteceu em Al Baghaliyeh, um subúrbio de Deir Ezzor, e em outros vilarejos da região. Os reféns, todos de confissão sunita como os integrantes do EI, foram levados para regiões sob o controle do movimento jihadista.

Entre as pessoas sequestradas estão "mulheres e crianças, assim como familiares de combatentes pró-regime", disse Rahman. O diretor da ONG, baseada na Grã-Bretanha, teme que "os civis sejam executados e as mulheres transformadas em escravas sexuais."

Ofensiva do grupo EI no leste da Síria

No sábado, o grupo EI lançou uma grande ofensiva contra a cidade de Deir Ezzor, capital da província que leva o mesmo nome, e conseguiu controlar Al Baghaliyeh e 60% da região. Nos confrontos, os jihadistas mataram ao menos 85 civis e 50 partidários do regime. A maioria dos mortos foi executada. A agência de notícias oficial síria Sana, que cita vários habitantes, denunciou um massacre e informou a morte de 300 civis. Segundo a OSDH, 42 jihadistas também morreram nos confrontos.

Neste domingo, combates intermitentes opõem os integrantes do grupo EI às forças fiéis ao regime de Bashar al-Assad. O subúrbio de Al Baghaliyeh foi alvo de bombardeios da aviação russa, que apoia o presidente sírio.

Bombardeios matam 40 civis em Raqa

A população civil é a que mais sofre com o conflito. Os bombardeios contra Raqa, reduto do grupo Estado Islâmico, localizado no leste da Síria, deixaram no sábado 40 civis mortos, entre eles oito crianças. A OSDH disse que não está claro se os ataques foram realizados por aviões russos ou por caças do governo de Bashar al-Assad, mas afirmou que, segundo seus informantes, as aeronaves decolaram de zonas controladas por Damasco.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.