Irã

Legislativas no Irã: vitória de reformistas favorece governo

Iranianos continuam a realizar a contagem de votos das eleições legislativas neste domingo (28).
Iranianos continuam a realizar a contagem de votos das eleições legislativas neste domingo (28). REUTERS/Raheb Homavandi

A contagem de votos está quase finalizada no Irã, que realizou na sexta-feira (26) as primeiras eleições legislativas após o processo de abertura política do país. A televisão do país anunciou neste domingo (28) que os reformistas e os moderados devem ficar com o total de 30 cadeiras que correspondem à capital Teerã.

Publicidade

Segundo o correspondente da RFI em Teerã, Siavosh Ghazi, 90% dos votos já foram contabilizados. Os resultados finais devem ser anunciados entre segunda-feira (29) ou terça-feira (1°).

A lista dos reformistas e moderados na capital é liderada por Mohamad Reza Aref, ex-candidato dos primeiros à presidência em 2013, que se retirou em favor do candidato moderado Hassan Rohani, permitindo-lhe ser eleito na primeira rodada das presidenciais. Aref lidera os candidatos em Teerã, seguido do conservador moderado Ali Motahari, aliado dos reformistas.

A vitória quase confirmada dos reformistas e moderados favorece Rohani, que espera obter a maioria no parlamento, dominado atualmente pelos conservadores, e continuar o processo de abertura política do país. Outro ponto positivo para o governo iraniano é que o líder conservador, Gholam-Ali Hadad-Adel, ex-presidente do parlamento, chegou apenas na 31a. posição e não deve ser eleito.

Estratégia de barrar conservadores teve sucesso

Os resultados, que não são definitivos, mostram que a estratégia dos reformistas obteve sucesso em Teerã. Os líderes progressistas insistiram durante toda a campanha que os eleitores fizessem frente aos conservadores, votando para a lista completa dos reformistas.

Outra vitória de Rohani é a eliminação dos candidatos ultraconservadores, que fizeram duras críticas ao acordo nuclear com as grandes potências. Ao que parece, o parlamento deve ser ocupado por políticos mais flexíveis.

Entretanto, no resto do país, os resultados ganham outro panorama. Nos 25% dos votos apurados no interior do Irã, os conservadores lideram com 23 assentos contra 15 para os reformistas. Outras 23 cadeiras devem ser ocupadas por candidatos independentes, cujo posicionamento político não é bem definido.

Taxa de participação ficou abaixo do esperado

No total, 60% dos eleitores votaram para eleger os próximos representantes do parlamento e para a assembleia de especialistas, encarregada de nomear e substituir o guia supremo. Embora a população tenha sido convocada para votar em massa, a participação foi mais baixa do que nas últimas eleições legislativas, durante o governo do conservador Mahmud Ahmadinejad.

Especialistas acreditam que a desqualificação de 1.400 candidatos a poucos dias da eleição desanimou os iranianos. A maioria dos candidatos eliminados antes do pleito era reformista.

No total, os iranianos escolheram entre 4.844 candidatos, incluindo quase 500 mulheres, para renovar os 290 membros do Parlamento. Um total de 159 candidatos - todos homens - concorreram aos 88 postos da Assembleia de Especialistas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.