Dia do Trabalho

Dois atentados em um Primeiro de Maio violento na Turquia

Um carro-bomba explodiu em frente a um posto da polícia em Gaziantep.
Um carro-bomba explodiu em frente a um posto da polícia em Gaziantep. Ihlas News Agency via REUTERS
Texto por: RFI
2 min

Dois ataques terroristas na manhã deste domingo (1) atingiram a Turquia, um atribuído ao grupo Estado Islâmico, outro ao grupo curdo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). A situação é tensa também em Istambul, onde dezenas de pessoas foram presas durante manifestações pelo Dia do Trabalho.

Publicidade

Em Gaziantep, dois policiais morreram e cerca de 20 pessoas ficaram feridas após explosão de um carro-bomba em frente a um comissariado de polícia. A maior parte das vítimas eram policiais. A província de Gaziantep faz fronteira com uma das partes do território sírio controlado pelo grupo Estado Islâmico. Nos últimos meses, a polícia turca efetuou diversos ataques contra os jihadistas.

No outro atentado, morreram três soldados turcos e 14 pessoas ficaram feridas em Nusaybin, região de maioria curda. O ataque com um foguete é atribuído ao grupo curdo PKK, que também tem estado sob a mira das forças militares turcas.

Manifestações reprimidas

Na cidade de Adana, organizadores das manifestações do Primeiro de Maio preferiram anular o evento depois de rumores evocarem um atentado suicida que estaria em preparação. Segundo o correspondente da RFI em Istambul, Alexandre Billette, uma grande manifestação autorizada pelo governo acontecerá no final da tarde, em um bairro periférico.

Todo a região central está isolada e vigiada por helicópteros e cerca de 25 mil policiais. Pelo menos 40 pessoas foram presas pela manhã por causa de manifestações sem autorização. A polícia utilizou canhões d’água e gás lacrimogênio para dispersar os grupos. Um homem morreu sob as rodas de um blindado da polícia nas cercanias da praça central de Taksim.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.