Acessar o conteúdo principal
Atentados/Afeganistão

Atentados matam cerca de 50 no Afeganistão em um dia

Transporte de vítimas após ataque em Cabul, nesta terça-feira (10).
Transporte de vítimas após ataque em Cabul, nesta terça-feira (10). REUTERS/Mohammad Ismail
Texto por: RFI
3 min

Cerca de 50 pessoas morreram e uma centena ficaram feridas em uma série de atentados, lançados nesta terça-feira (10) em três cidades afegãs, entre elas a capital, Cabul, alvo de um ataque contra um prédio anexo ao Parlamento, reivindicado pelos talibãs.

Publicidade

Pelo menos "30 mortos e 80 feridos" foram levados para hospitais na capital afegã depois do duplo atentado, lançado por um suicida que detonou os explosivos que levava consigo ao lado de um ônibus que aguardava os funcionários do Legislativo na hora da saída do trabalho. Pouco depois, um carro-bomba explodiu no local.
Os insurgentes do Talibã reivindicaram as duas explosões.

"O balanço pode aumentar, uma vez que alguns feridos estão em estado crítico", disse à AFP uma fonte do ministério da Saúde. Já uma fonte nos serviços de segurança afirmou que entre os mortos há "quatro policiais", membros dos serviços de Inteligência.

O porta-voz talibã Zabihullah Mujahid declarou que as explosões tinham como objetivo atingir um veículo pertencente à agência afegã de Inteligência. O anexo abriga diferentes comitês técnicos, além dos escritórios de alguns legisladores.

Apesar do início do inverno (no hemisfério norte), época em que normalmente os distúrbios diminuem no Afeganistão, os talibãs continuam com a campanha de ataques em todo o país, enquanto os esforços internacionais para iniciar negociações de paz diminuem.

Outros atentados no interior

Pela manhã, um homem-bomba matou sete pessoas em Lashkar Gah, capital da província de Helmand, no sul do Afeganistão, segundo informou o chefe da polícia local. À noite, doze pessoas morreram em um atentado contra a residência do governador de Kandahar (sul). Ficaram feridos o governador e o embaixador dos Emirados Árabes Unidos, disse à AFP o chefe da polícia local, Abdul Raziq.

Várias tentativas para lançar negociações com os talibãs fracassaram recentemente e espera-se que depois do inverno comece uma nova temporada de violentos confrontos.

Esses ataques fazem aumentar a preocupação com a crescente insegurança no Afeganistão, onde 10.000 soldados americanos ajudam as forças afegãs a combater os insurgentes do Talibã, bem como combatentes das organizações extremistas da Al-Qaeda e do Estado Islâmico.

O Afeganistão aplaudiu na semana passada a decisão do Pentágono de basear mais de 300 fuzileiros navais em Helmand, onde as tropas dos Estados Unidos participaram em intensos combates até o final de sua missão em 2014.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.