Acessar o conteúdo principal

Tentativa de golpe na Turquia: 270 começam a ser julgados

Militares prendem o sargento Erkan Cikat, suspeito de participar da tentativa de golpe de 15 de julho de 2016, na Turquia
Militares prendem o sargento Erkan Cikat, suspeito de participar da tentativa de golpe de 15 de julho de 2016, na Turquia REUTERS/Kenan Gurbuz
2 min

Sob alto esquema de segurança, começou nesta segunda-feira (30) a primeira audiência dos participantes da tentativa de golpe de estado na Turquia, em 15 de julho de 2016. Tanques, drones e cães farejadores vigiavam a entrada do tribunal.

Publicidade

O mega processo julga 270 pessoas, das quais 152 estão em prisão preventiva. Os réus são acusados de tentativa de derrubar a ordem constitucional, por integrar uma organização terrorista e por tentar derrubar o Parlamento ou o impedir de cumprir seus deveres. Cada um dos julgados pode ter duas condenações à prisão perpétua.

A maioria dos homens que estão no banco dos réus são militares; entre eles, diversos oficiais do alto escalão como o ex-general Memduh Hakbilen, que articularam o golpe frustrado de estado no ano passado.

Desde o golpe fracassado, o presidente turco Yacep Erdogan vem ampliando seus poderes e reprimindo opositores, críticos e jornalistas. A ONG Repórteres Sem Fronteiras acusa o país de ser "a maior prisão do mundo para jornalistas".

Extradição de Fethullah Gülen

Apontado como cérebro do golpe frustrado de julho, o intelectual turco Fethullah Gülen tamém está sendo julgado por contumácia, pois está refugiado nos Estados Unidos. As autoridades turcas aproveitam o momento do julgamento para pressionar Washington a extraditar Fethullah, que está vivendo na Pensilvânia.

De acordo com o site de notícias turco Hurriyet Daily News, o governo turco enviou novos elementos ao departamento de Justiça americano, inclusive uma ata de acusação de 1.300 páginas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.