Acessar o conteúdo principal

Viúva do dissidente chinês Liu Xiaobo está desaparecida

A viúva de dissidente chinês Liu Xiabo está desaparecida desde a morte do marido em 15 dejulho de 2017.
A viúva de dissidente chinês Liu Xiabo está desaparecida desde a morte do marido em 15 dejulho de 2017. Shenyang Municipal Information Office/via REUTERS
3 min

O advogado do casal acusou nesta quinta-feira (3) o regime chinês pela prisão e desaparecimento de Liu Xia, viúva do dissidente Liu Xiaobo, ganhador do Premio Nobel da Paz em 2010. Ele anunciou ter apresentado uma denúncia na ONU.

Publicidade

Liu Xia foi vista pela última vez durante o funeral de seu marido, no dia 15 de julho.

"Exijo que as autoridades chinesas forneçam imediatamente uma prova de que Liu Xia está viva e autorizem o acesso irrestrito a sua família, amigos, advogados e comunidade internacional", disse o advogado Jared Genser.

Segundo ele, Liu Xia "está detida pelas autoridades chinesas em um lugar desconhecido" desde 15 de julho, dia do funeral do opositor. O advogado apresentou a denúncia ao Grupo de Trabalho sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários da ONU, nos Estados Unidos.

Prisão domiciliar desde 2010

Liu Xia, de 56 anos, estava em prisão domiciliar em seu apartamento em Pequim desde que Liu Xiaobo ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2010, depois de ter sido condenado a 11 anos de prisão por "subversão" por exigir reformas democrática na China. Liu Xia nunca foi condenada ou processada.

Desde o dia anterior a morte de seu marido, Liu Xia não esteve em contato com qualquer membro de sua família, de acordo com Genser. O regime comunista publicou fotos dela tiradas durante o funeral de Liu Xiaobo, mas desde então não revelou onde estaria.

Liu Xiabo, prêmio Nobel da Paz

Liu Xiaobo morreu de câncer de fígado no último dia 13 de julho, aos 61 anos, em um hospital no nordeste da China, poucas semanas depois de ter sido posto em liberdade condicional por motivos de saúde.

O regime chinês, acusado de ser responsável pela degradação de sua saúde, não permitiu que o dissidente viajasse para o exterior para se tratar.

Liu Xiaobo foi o primeiro Prêmio Nobel da Paz a morrer na prisão desde o pacifista alemão Carl von Ossietzky, que morreu em 1938, quando foi preso pelos nazistas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.