Acessar o conteúdo principal
Coreia do Norte/EUA

Coreia do Norte : EUA não descartam uso de armas nucleares

O líder norte-coreano Kim Jong Un durante reunião com o Bureau Político do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia. 04/09/17
O líder norte-coreano Kim Jong Un durante reunião com o Bureau Político do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia. 04/09/17 KCNA via REUTERS
Texto por: RFI
3 min

Poucas horas depois depois do sexto teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, a Casa Branca anunciou que os Estados Unidos estavam “prontos para utilizar suas capacidades nucleares” caso Pyongyang continuasse a ameaçar o país e seus aliados. O Conselho de Segurança da ONU se reúne às 11h nesta segunda-feira (04) no horário de Brasília, para analisar a situação.

Publicidade

O Pentágono prometeu "uma resposta militar maciça" em caso de ameaça aos Estados Unidos. Neste domingo, o presidente Trump também conversou com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. Ele também se comprometeu, em um comunicado, “a defender a pátria, o território e os aliados utilizando todas as capacidades diplomáticas, convencionais e nucleares disponíveis”.

O teste nuclear norte-coreano surpreendeu o mundo. A explosão subterrânea, que parece ter excedido a magnitude da bomba atômica de Hiroshima (Japão), foi o sexto e mais potente teste nuclear do país até hoje. Segundo especialistas sul-coreanos, a potência do tremor detectado foi entre cinco e seis vezes maior que a do teste nuclear de setembro de 2016, quando a Coreia do Norte fez explodir uma bomba de 10 quilotons.

Uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU também foi anunciada para hoje, às 11h no horário de Brasília para avaliar a escalada do conflito na região. O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, denunciou o teste como "profundamente desestabilizador".

A Assembléia-Geral da ONU, que acontece em duas semanas em Nova York, também será dominada pela necessidade de se conter a ameaça crescente que a Coreia do Norte está se tornando para a segurança mundial, e especialmente de seus vizinhos Coreia do Sul e Japão.

Novas advertências dos EUA

Trump se reuniu neste domingo com sua equipe de segurança nacional, incluindo o secretário de Defesa, Jim Mattis, e vários chefes militares na Casa Branca. No final da reunião, Mattis lançou novas advertências à Coreia do Norte. "Qualquer ameaça aos Estados Unidos ou seus territórios, inclusive Guam, ou aos nossos aliados será rebatida com uma resposta militar maciça", disse.

Mais cedo, o presidente americano disse no Twitter que os "Estados Unidos estão considerando, além de outras opções, encerrar todo o comércio com os países que tenham negócios com a Coreia do Norte".

A TV oficial norte-coreana qualificou o teste de um "sucesso perfeito", e pouco antes o governo difundiu imagens do líder Kim Jong-Un inspecionando o que foi apresentado como uma bomba H (de hidrogênio) capaz de ser instalada sobre o novo míssil balístico intercontinental que o país possui.

Nesta segunda-feira, segundo o Ministério sul coreano da Defesa, a Coreia do Norte iniciou os preparativos para lançar novos mísseis balísticos e um míssil intercontinental com capacidade para atingir os EUA.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.