Acessar o conteúdo principal

Ataque cibernético mobiliza Ucrânia e Rússia: uma “nova epidemia”?

O balanço do último ciberataque NotPetya chegou a mais de 200 mil vítimas, principalmente empresas, em ao menos 150 países.
O balanço do último ciberataque NotPetya chegou a mais de 200 mil vítimas, principalmente empresas, em ao menos 150 países. REUTERS/Kacper Pempel/Illustration
Texto por: RFI
3 min

Um novo ciberataque atingiu a Ucrânia nesta terça-feira (24), afetando o funcionamento do aeroporto de Odessa. O incidente também mobilizou várias mídias on-line na Rússia, quatro meses após o ataque cibernético global conhecido como NotPetya, iniciado nesses dois países.

Publicidade

"Parece que estamos enfrentando uma nova epidemia", alertou a empresa russa especializada em segurança de TI do Grupo IB, em um comunicado, nesta terça-feira (24). Conhecido como Bad Rabbit, este vírus de computador mostra na tela de computadores infectados um resgate de 300 dólares para pagar com a moeda virtual Bitcoin, de acordo com a mesma fonte.

"Uma série de instituições públicas e sites estratégicos na Ucrânia", bem como a mídia russa, estão entre suas vítimas, diz ainda o comunicado. Na Ucrânia, o ataque cibernético atingiu o aeroporto de Odessa (sul), declarou Evgueni Goukov, chefe de relações públicas do Grupo IB.

"O sistema informático no Aeroporto Internacional de Odessa foi atingido por um ataque on-line", disseram funcionários em um comunicado, citando problemas de "desaceleração" na entrega de serviços. Por sua vez, o metro da capital Kiev indicou apenas que não aceitaria temporariamente o pagamento por cartão bancário, sem, no entanto, mencionar qualquer ataque.

Mídias russas afetadas

"Na Rússia, pelo menos três meios de comunicação on-line foram afetados, incluindo a agência de notícias Interfax Fontanka.ru, além do principal site de informações de São Petesburgo (noroeste), declarou Goukov. Às 17h locais, o site Interfax e Fontanka.ru ainda não estavam acessíveis, após várias horas de silêncio.

Por sua vez, a empresa russa Kaspersky Lab, especialista em segurança informática, afirmou que o ataque também afetou outros países. "A maioria das vítimas do ataque está na Rússia, mas também estamos vendo ataques similares na Ucrânia, Turquia e Alemanha, embora seus números sejam muito menores", disse Kaspersky Lab em um comunicado, afirmando que o vírus "se espalha através de sites infectados em russo".

Os perpetradores do ataque "usaram métodos que se assemelham aos usados ​​no ataque NotPetya," mas não podemos confirmar um link "entre os dois, diz o comunicado.

No final de junho, um ataque cibernético "ransomware", causado pelo vírus de computador NotPetya que havia começado na Rússia e na Ucrânia, afetou milhares de computadores em todo o mundo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.