Acessar o conteúdo principal
Grupo Estado Islâmico/Tajiquistão

Grupo Estado Islâmico mata quatro ciclistas ocidentais no Tajiquistão

A estrada de Pamir, famosa rota ciclística que passa pelo Tajiquistão.
A estrada de Pamir, famosa rota ciclística que passa pelo Tajiquistão. KADAM MASKAYEV / AFP
2 min

O grupo Estado Islâmico reivindicou nesta segunda-feira (30) um ataque que matou quatro ciclistas estrangeiros no Tajiquistão, no que fora anteriormente descrito como um atropelamento.

Publicidade

As vítimas – duas pessoas com passaporte americano, uma de nacionalidade suíça e outra holandesa – foram atropelados por um carro no domingo, sendo em seguida atacados. Os ciclistas estavam em uma popular rota ciclística no distrito de Danghara, a cerca de 100 km ao sul da capital Dushanbe.

Segundo o ministro do Interior do Tajiquistão, Ramazon Hamro Rahimzoda, os suspeitos tinham armas e facas. Ele acrescentou que outros dois ciclistas, de nacionalidades suíça e holandesa, foram feridos e estavam hospitalizados.

Um outro ciclista do grupo, de nacionalidade francesa, escapou sem ferimentos e estava sendo questionado pela polícia, informou o ministro.

Em um comunicado divulgado nesta segunda-feira, os extremistas declararam que um “destacamento de soldados do califado” realizaram o ataque “contra cidadãos dos países da coalizão de cruzados”, segundo o SITE, grupo de monitoramento de redes extremistas.

Cinco suspeitos de envolvimento no ataque foram mortos pela polícia e pelo menos quatro suspeitos foram detidos, de acordo com relatos policiais diferentes. Um ciclista belga que chegou ao local logo após o ataque declarou à TV flamenga VRT ter visto “vários ciclistas no chão, alguns em estado de choque”.

Pêsames

O ministério das Relações Exteriores da Holanda disse à AFP que um dos turistas mortos era um homem de 56 anos, que fazia a famosa rota Pamir, uma estrada da era soviética que atravessa um cenário montanhoso espetacular.

A embaixada americana no Tajiquistão confirmou a morte de dois americanos.

O presidente do Tajiquistão, Emomali Rakhmon, enviou notas de pêsames aos Estados Unidos, Suíça e Países Baixos.

As autoridades do Tajiquistão haviam declarado 2018 como o ano do turismo na antiga república soviética. O número de turistas quadruplicou nos cinco primeiros meses do ano, em comparação ao mesmo período de 2017, segundo o presidente.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.