furacão/Tóquio

Poderoso furacão Hagibis chega ao Japão e segue em direção a Tóquio

Zona residencial inundada en Ise, prefeitura de Mie, (na região central do Japão), antes da chegada do furacão Hagibis.
Zona residencial inundada en Ise, prefeitura de Mie, (na região central do Japão), antes da chegada do furacão Hagibis. Kyodo/via REUTERS

Com tempestades e ventos fortes que já causaram a morte de pelo menos uma pessoa, o furacao Hagibis atingiu neste sábado (12) a costa do Japão. Mais de um milhão de pessoas deixaram suas casas.

Publicidade

O furacão atingiu o Japão um pouco antes das 19h, horário local, na península de Izu, a cerca de 100km a sudoeste de Toquio, anunciou a agência meteorológica japonesa (JMA).

As recomendações de deixar as casas na região foram dadas a 7,3 milhoes de habitantes, após chuvas “sem precedentes”, que geraram alertas para enchentes e deslizamentos.

“Deixei minha casa porque o telhado foi levado pela tempestade e chovia no interior”, contou um homem de 93 anos à rede NHK, refugiado em um centro de acolhimento de TAteyama, na prefeitura de Chiba.

Por enquanto as autoridades falam em um morto, pelo menos três desaparecidos e dezenas de feridos, incluindo quatro em estado grave.

Tremor sem alerta de tsunami

Um tremor de magnitude 5,7, declarado nos arredores de Chiba às 18h22, foi sentido em Tóquio. Mas não houve alerta de tsunami.

A agência meteorológica prevê 50cm de chuva na aglomeração de Tóquio durante 24h, até metade do dia de domingo, além de precipitações também no centro do país.

Um deslizamento de terra aconteceu em Sagamihara, no sudoeste de Tóquio, engolindo três casas – em uma delas estava um idoso, que foi salvo.

Três pessoas estavam desaparecidas após um outro deslizamento de terra na prefeitura de Gunma, ao norte de Tóquio. Várias casas foram destruídas.

Transportes perturbados

As duas principais companhias aéreas, JAL e ANA, cancelaram várias centenas de voos regulares neste sábado, principalmente domésticos. Todos os trens de alta velocidade entre Tóquio e Nagoya foram cancelados, e também os que ligam Nagoya e Osaka (oeste).

As fábricas do país também se adaptaram, como a Toyota, que previa o fechamento de três de suas unidades neste sábado, segundo a agência de imprensa Kyodo.

Os dois parques de diversões da Disney em Tóquio também fecharão neste sábado, disse à AFP um porta-voz da empresa que os administra, a Oriental Land.

Os organizadores do Grande Prêmio de Fórmula 1 de Suzuka, perto de Nagoya (centro da cidade), cancelaram todo o programa deste sábado: os treinos livres foram limitados a sexta-feira e os de classificação para domingo de manhã, pouco antes do início da corrida.

 

(com informações da AFP)

  

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.