Acessar o conteúdo principal
Afeganistão/Conflito

Cabul, Washington e talibãs chegam a acordo para reduzir violência no Afeganistão

O enviado especial de Washington para a paz no Afeganistão, Zalmay Khalilzad.
O enviado especial de Washington para a paz no Afeganistão, Zalmay Khalilzad. REUTERS / Omar Sobhani
Texto por: RFI
3 min

O anúncio do acordo para a redução da violência no Afeganistão foi feito na manhã desta sexta-feira (21) pelo porta-voz do Conselho Nacional de de Segurança do Afeganistão. Talibãs, americanos e o governo afegão concordam em limitar as hostilidades no país durante uma semana.

Publicidade

Sonia Ghezali, correspondente regional da RFI

O acordo entrará em vigor à meia-noite desta sexta-feira. Ele não prevê claramente uma trégua, e sim uma redução da violência que serviria de teste a todos os envolvidos no conflito afegão.

O texto assinado pelos rebeldes talibãs e os americanos integra as negociações, iniciadas há mais de um ano, pelo enviado especial de Washington para a paz no Afeganistão, Zalmay Khalilzad. Ele negocia um acordo visando a saída dos soldados estrangeiros do país. Esta retirada das tropas americanas é a condição imposta pelos talibãs antes de iniciar qualquer discussão de paz com o governo afegão. O grupo rebelde não reconhece a legitimidade das autoridades de Cabul.

Exigências para as negociações de paz

Já a redução da violência, prevista no acordo de hoje, era a exigência dos Estados Unidos e do governo afegão para discutir a paz com os insurgentes. As discussões preliminares entre os Estados Unidos e os Talibãs começaram há mais de um ano em Doha, no Catar. Elas acontecem sem a participação de nenhum representante do governo de Cabul.

Depois dessa primeira semana de trégua parcial, os Estados Unidos esperam assinar um acordo de paz com os talibãs, anunciou o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, em um comunicado divulgado nesta sexta-feira após sua visita à Arábia Saudita. A expectativa é que o pacto seja assinado em 29 de fevereiro, se a redução da violência for respeitada.

Moscou elogiou a trégua parcial que considera um passo "importante" para a paz no Afeganistão, que está em conflito há 18 anos.

O anúncio desses sete dias de redução das hostilidades acontece em um momento de grave crise política no Afeganistão. Vários candidatos à eleição presidencial, realizada em setembro de 2019, rejeitam o resultado oficial da votação. Anunciado há alguns dias, ele dá a vitória ao atual presidente Ashraf Ghani.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.