Alemanha recebe menores vindos de campos de refugiados gregos durante crise de Covid-19

Imigrantes menores de idade embarcam em Atenas rumo à Alemanha, país que deve acolher 500 refugiados.
Imigrantes menores de idade embarcam em Atenas rumo à Alemanha, país que deve acolher 500 refugiados. REUTERS/Costas Baltas

Quarenta e sete refugiados menores de idade chegaram na Alemanha na manhã deste sábado (18). As crianças e adolescentes desacompanhados estavam vivendo em campos de refugiados nas ilhas gregas, onde as condições insalubres desafiam o controle sanitário durante a pandemia de Covid-19. 

Publicidade

Pascal Thibault, correspondente da RFI em Berlim

Com idade entre 5 e 17 anos, os menores são originários da Síria, Afeganistão, Eritreia e Iraque. Parte deles já têm família vivendo no país liderado por Angela Merkel.

O grupo é o primeiro a ser trazido das ilhas gregas desde que dez países-membros da União Europeia e a Suíça anunciaram que receberiam 1.600 menores refugiados há seis semanas.

"A Alemanha mantém suas promessas. Estamos fazendo um gesto a favor de uma maior solidariedade na Europa. Presumo que nossos parceiros também honrem seus compromissos o mais rápido possível”, afirmou o ministro do Interior alemão, Horst Seehofer, durante a recepção dos migrantes.

As ONGs que lutam pela recepção de migrantes consideram o número tímido diante da situação nas ilhas gregas. Os centros de acolhimento de imigrantes na Grécia hospedam dezenas de milhares de requerentes de asilo em condições precárias.

A estimativa é que haja 36.000 refugiados nos campos de cinco ilhas do mar Egeu, ponto de entrada dos migrantes na União Europeia. Os locais foram planejados para receber uma população seis vezes menor.  

A superpopulação é o principal fator de preocupação em um momento de pandemia, quando são recomendadas normas de "distanciamento social" e gestos de proteção para controlar o avanço do coronavírus.

500 menores devem ser recebidos na Alemanha

Os 47 menores recebidos neste sábado passaram por um exame médico antes da viagem e serão colocados em quarentena por duas semanas em território alemão.

Cerca de 20 deles têm pais que moram na Alemanha e deverão encontrar as famílias assim que possível. O restante será recebido em serviços para refugiados da Baixa Saxônia, no noroeste do país.

Este deve ser apenas o primeiro grupo de um total de 500 menores que a Alemanha se comprometeu a receber.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.