Acessar o conteúdo principal

Coreia do Sul registra aumento de casos de coronavírus e teme nova onda da epidemia

Um foco da Covid-19 foi descoberto em um armazém de Coupang em Bucheon, no oeste de Seul, registrou 69 casos.
Um foco da Covid-19 foi descoberto em um armazém de Coupang em Bucheon, no oeste de Seul, registrou 69 casos. AFP

A Coreia do Sul anunciou nesta quinta-feira (28) o maior aumento de novas contaminações por coronavírus em quase dois meses, devido a um surto de casos em um armazém de uma empresa de comércio on-line perto de Seul. As infecções fazem as autoridades e a população temerem uma nova onda epidêmica no país.

Publicidade

A Coreia do Sul, citada como modelo pela sua resposta eficaz nos últimos meses, quando a Covid-19 se espalhou por seu território, diminuiu muito as restrições para os moradores, mas agora está enfrentando um surto de novos casos.

As autoridades anunciaram 79 novas infecções, que elevam o número total de doentes confirmados no país para 11.344. A maioria foi identificada na área metropolitana de Seul, que tem uma forte densidade populacional. Os casos representam o número mais alto de contaminações  desde 5 de abril.

No total, 69 pessoas infectadas tinham um ponto em comum: visitaram um armazém da empresa de comércio on-line Coupang, em Bucheon, oeste da capital, de acordo com o Centro Coreano de Controle e Prevenção de Doenças (KCDC).

Cerca de 4.100 pessoas que trabalham ou recentemente visitaram o edifício foram colocadas em confinamento solitário. E 80% delas já foram testados, segundo o vice-ministro da Saúde Kim Gang-lip.  "Esperamos que o número de casos relacionados ao armazém continue aumentando à medida que finalizamos os testes", acrescentou.

A Coreia do Sul suspendeu, em meados de abril, algumas das restrições impostas recentemente em sua estratégia de controle do novo coronavírus. Alguns lugares, como igrejas e museus, foram autorizados a reabrir, assim como as escolas.

Bares e restaurantes voltaram lentamente às atividades. As competições de beisebol e futebol também foram retomadas, mas a portas fechadas, sem a presença de torcedores.

Estratégia abrangente de teste e rastreamento

A Coreia do Sul foi, no final de fevereiro de 2020, o segundo país mais afetado no mundo pela epidemia após o surto chinês.

Mas o governo conseguiu controlar a situação por meio de uma estratégia ampla que incluiu testes e rastreamento dos infectados e de seus contatos.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.